iecc-memórias – XVI -O destino da Escola Modelo do Carmo, matriz da Escola Normal.

iecc-memórias – XVI -O destino da Escola Modelo do Carmo, matriz da Escola Normal.

Queridos leitores:

Nossa escola, Caetano de Campos,  instalou-se  na Praça em 1894.

Como continuou o funcionamento da Escola Modelo do Carmo? Para isso, além de notícias de jornal e trabalhos universitários, encontrei um artigo no site São Paulo, minha cidade, de Neuza Guerreiro de Carvalho  de 12/12/2005, praticamente na  íntegra.

Abraços vasculhados,

wilma

04/03/13.

Vovó Neuza - eu sou assimEm 1890 a “Escola Modelo do Carmo” era conhecida desde há muito tempo pela denominação de Escola Modelo do Carmo, ou Escola do Carmo, por haver funcionado, em seu início, nos fundos da igreja da Ordem Terceira do Carmo, local que mais tarde foi ocupado pelo Ginásio dos Reverendos Irmãos Maristas.

Foi nesse grupo escolar que Caetano de Campos introduziu as então modernas técnicas pedagógicas, organizando a primeira escola-modelo. Inicialmente, a escola destinada à prática dos professorandos funcionou sob a direção direta do próprio Caetano de Campos.
Essa escola foi fundada em 7 de julho de 1890, e em 1º de setembro do mesmo ano iniciou suas atividades, tendo a professora Miss Márcia Browne como auxiliar da direção.

No começo, funcionaram apenas as classes dos dois primeiros anos preliminares, com 50 alunos de cada sexo, solicitados a seus pais pelo próprio Caetano de Campos. Em fevereiro de 1893, a escola passou a ser dirigida por Miss Browne, até julho do mesmo ano, quando assume a diretoria o professor Oscar Thompson.

Em 2 de agosto de 1894, foi inaugurada a Escola Normal da Praça da República, onde também foi instalada uma escola-modelo. De seu corpo docente fizeram parte diversos professores da Escola do Carmo, que, nessa ocasião, passa a se chamar Segunda Escola-Modelo, anexa à Escola Normal da Praça da República, com o professor Oscar Thompson como diretor efetivo.

Os professores removidos para a Escola Normal da Praça da República foram substituídos por normalistas. Em fevereiro de 1895 foram criadas classes de 5º ano, e em fevereiro de 1898 o professor Alfredo Bresser da Silveira assumiu a direção.

A escola passou a se chamar oficialmente “Grupo Escolar do Carmo” em 1º de outubro de 1894, quando era Secretário do Interior o Dr.José Cardoso de Almeida. O prédio em que funcionava, na rua do Carmo, nº 18, esquina com a rua Santa Thereza, havia sido residência do Marquês de Três Rios, e pertencia, no começo do século XX, ao Conde de Prates, que o arrendava ao governo.

Atualmente, o prédio é ocupado pela Escola Fazendária do Estado de São Paulo – FAZESP – que faz o treinamento dos funcionários da Secretaria da Fazenda ali vizinha, no comecinho da Av. Rangel Pestana. Dá cursos de capacitação e aperfeiçoamento atendendo à demanda dos funcionários.
O edifício está entre os melhores exemplares da arquitetura escolar do fim do século XIX, pois além de ser um projeto específico para o terreno em que está localizado é também um dos poucos que se inscreve no estilo “art- nouveau”

Hoje o prédio está totalmente restaurado, com corredores largos, salas imensas com pé direito duplo, cubagem de ar mais do que suficiente e portas altas, com bandeiras agora de vidros lisos. Portas entalhadas, perfeitas. É um prédio de dois andares mais o térreo e um sub solo que abre janelas fechada no nível da rua. O acesso aos andares se faz por escadas magníficas, amplas, brancas, com corrimão artístico. Tem entrada principal pela rua do Carmo e se situa na esquina da Rua do Carmo com rua das Flores. Mas, mantém ainda o aspecto de escola.

Novas pesquisas me levaram à arquiteta responsável pela restauração atual do prédio, Silvana Maria Aurichio, que me diz que o projeto original é de autoria de Carlos Rosencrantz, alemão naturalizado brasileiro. (também responsável pela Escola Normal de São Carlos)
Vale à pena ser visitado.

Quanto aos artigos do jornal OESP, verifiquei algumas notas de importância variada, que aqui seguem resumidamente:

29/08/1894 :

Tanto a Escola Normal  como a Escola Modelo, com 375 alunos  estão funcionando normalmente no novo prédio da Praça

A Escola Modelo da rua do Carmo, tem menos alunos: 240.

6/10/1894

Ficamos a saber que nossa escola teve as vidraças quebradas por vândalos e que para evitar recidiva, o Secretário do Interior interpelou o da Justiça para que houvesse um aumento de policiais nas redondezas da nossa recém-inaugurada escola.

15/11/1894 :

O quê fazer com todo o pessoal da Escola Modelo da rua do Carmo ?

Segundo o jornal OESP, todo pessoal da antiga Escola Modelo que não foi removido para a Praça da República foi transferido para outra nova escola modelo saída da prancha de Ramos de Azevedo e que deveria ser inaugurada na LUZ, reunindo todas as escolas públicas do distrito.

Entre essa escola e a nossa  os cuidados do governo foram os mesmos: mesmo arquiteto e móveis importados dos EUA como para nós; remoção de alguns professores da Escola do Carmo, etc.. E como vimos precedentemente, as normalistas recém-formadas ocuparam os postos dos professores na Escola do Carmo(nota minha).

Anúncios
Esse post foi publicado em Publicações do jornal 0ESP desde 1894 sobre o IE Caetano de Campos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s