iecc-memórias – XLIII -Procedimento para matricular um aluno na escola Caetano de Campos no final do século XIX.

Procedimento para matricular um aluno na nossa escola  no final do século XIX.

Queridos leitores:002 Caetano de Campos 0

Não deveria ser fácil “colocar” um aluno ou futuro aluno na Escola Normal ou  nas Escolas à ela anexas.

Para ingressar na Escola Normal, isso apenas era possibilitado participando-se de um concurso seletivo; quando lemos os jornais da época, constatamos a existência de anúncios para pensões apropriadas para rapazes ou para senhoritas, provenientes do interior e que estivessem na Capital para o concurso de entrada; outros anúncios eram publicados para  aulas particulares de reforço com finalidade de prestar o famoso concurso; multiplicavam-se eles  para aulas na rua Aurora, Rego Freitas, Marquês de Itu e Amaral Gurgel, ministrados por muitos professores particulares brasileiros e até estrangeiros com passagem nas escolas francesas, suiças ou italianas, estavam ali à espera de alunos.

Geralmente para os demais cursos, os pais deveriam ter o hábito de ler jornais diariamente, pois tudo que era ligado à informação sobre a entrada de alunos na nossa escola, era editado no jornal OESP.

Quem lia este jornal?

Não havia a prática de sorteio de “algumas” vagas como nos anos 50 e 60.

No século XIX os alunos do  Jardim eram escolhidos a dedo entre as famílias republicanas do poder; basta lermos as teses e os trabalhos universitários de Monarcha e de todos pesquisadores que se basearam nos seus trabalhos para nos inteiramos que o Jardim foi moldado com métodos, cujos conteúdos eram endereçados àquele tipo de clientela, com horários que permitissem uma pausa às governantas que acompanhavam as crianças até a escola; crianças que habitavam nos nobres bairros higienizados de São Paulo, crianças que falavam francês ou alemão em casa com as governatas, crianças que tinham professor de música à domicílio.

Agora leiam:

OESP de 6/01/1897:

Escola Normal da Capital

Matrículas:

Faço público, por ordem do sr. diretor, que em cumprimento do disposto dos artigos 5, 144, 145 e 185 do regulamento desta escola, as matrículas para as aulas do curso secundário e das escolas modelo anexas(complementar, preliminar e jardim da infância), serão abertas nesta secretaria, a 1° de fevereiro às 11 horas da manhã e encerradas às 10 do mesmo às 2 horas da tarde.

As matrículas do Curso Secundário serão requeridas ao diretor, pelos matriculandos ou pelos seus procuradores, juntando a certidão de aprovação  em exame de suficiência do ano anterior para o subsequente. As matrícula para as Escolas modelo Anexas serão feitas mediante a apresentação dos matriculandos pelos pais, tutores, protetores ou pessoas por  eles autorizadas e exibição dos boletins anuais. Somente para o Jardim da Infância serão admitidos alunos novos.

Secretaria da Escola Normal da Capital de São Paulo,

12 de dezembro de 1896. O secretário , José E.C. de Sá e Benevides.

Esse post foi publicado em Publicações do jornal 0ESP desde 1894 sobre o IE Caetano de Campos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s