Fausto encontro com Boris Fausto.

images(in: História do Direito 2013)

O brilho do bronze é o nome do diário que o professor Boris Fausto escreveu para realizar o seu trabalho de luto, depois que dona Cynira o deixou.

O livro foi lançado na Livraria da Vila, na Madalena, ontem, dia 26 de novembro e, entre dedicatórias, encontros e reencontros houve uma conversa informal com o autor, no pequeno auditório, animada pela psicanalista Magda Khouri.

Muito me agradou ao ver e ouvir aquele moço de pouco mais de 80 anos, que eu conhecia apenas através da leitura de « Fazer a América », indicada na Sorbonne, da época temporã quando estudei Letras.

Também conhecia, de ouvir falar, « O crime do restaurante chinês », porque o caetanista Alcides Akiau mandou para a França toda a lista da documentação relativa à pesquisa do professor Boris empregada na escrita do livro.

Ontem também comprei O Crime(…) numa livraria aqui ao lado da casa onde me hospedo e, como um monstro do deserto,  o devorei inteiramente, e  se dó, para descobrir uma certa analogia metodológica com o meu novo livro*, a ser lançado na semana que vem, no dia 02 de dezembro, na Livraria Cortez.

Quando eu “crescer”, quero ser parecida com este jovem Fausto, que também fez um pacto com o diabo(ou teria sido com Deus ?), cujo resultado é um ditado que todos conhecem : « A pressa é inimiga da perfeição » !

Também vou me esmerar na leitura d’ O brilho do bronze, que inicio hoje, para tentar penetrar nas reflexões do professor; o que significará esse « brilho », senão a ação percebida pelo homem, testemunha da existência e do deixar de ser, ao admirar os elementos naturais agindo na matéria e, a ação humana, de sua iniciativa, ao perceber que ao polir o metal, deixa a sua marca efêmera no bronze ?

Desejem-me uma boa leitura; antecipadamente, sei que assim há de ser.

Abraços brilhantes,

wilma.

 27/11/14.

 

O BRILHO DO BRONZE;  FAUSTO, Boris; Cosac Naify, 2014; São Paulo; 39 reais.

*CRIME E CASTIGO NA ESCOLA CAETANO DE CAMPOS(micro-história ficcionada através de pesquisa dos artigos do jornal OESP, referidos como “Caso Melindroso”; 1913; São Paulo;  2014; Luna Editorial.

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Fausto encontro com Boris Fausto.

  1. Maria disse:

    Boris Fausto um grande!
    Saudade do melhor café com bolo da Cidade Luz!
    Beijos,Maria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s