iecc – memórias – CCCXLIX- O 38° aniversário da fundação da Escola Normal da Capital.

03/08/1918(OESP)

(1889 – ENC ainda na rua da Boa Morte – IBA MENDES)
(Pavilhão nobre do Jardim da infância; ieccmemorias)Afficher l'image d'origine

“Ocorrendo ontem o 38° aniversário da fundação da Escola Normal e o 24° das aulas, no edifício da Praça da República, realizou-se às 13 horas, no Salão Nobre do Jardim da Infância, uma sessão solene para comemorar a data.
O amplo recinto estava literalmente tomado por famílias e alunos do estabelecimento.
A assistência recebeu com uma prolongada salva de palmas a chegada do diretor, professor Carlos Alberto Gomes Cardim, que introduzia o dr. Oscar Thompson, diretor da Instrução Pública, acompanhado por todos os lentes e professores daquela casa.

João Gomes Júnior (1868 – 1963); in Tribuna do Norte.

Aberta a sessão com o “ Canto de minha terra”, do maestro J. Gomes Jr., executado pelo coro orfeônico, levantou-se o diretor, prof. Gomes Cardim, pronunciou uma vibrante alocução em a qual, velendo-se da oportunidade, exaltou eloquentemente as grandezas da pátria, ligando-as estreitamente às glórias da Escola Normal e terminou fazendo um apelo aos seus alunos para que pugnassem pela grandeza da Escola, sustentando o renome de que ela goza.
O professorando José Rangel de Camargo, em nome do Grêmio Normalista “Dois de Agosto” , fez um discurso alusivo à data terminando por saudar o dr. Oscar Thompson, que fazia parte da mesa.
A professoranda, dona Maria de Lourde Avila, fez um discurso enaltecendo o papel da mulher na atualidade, sendo muito aplaudida ao terminar. Falou ainda o professorando João Teixeira de Araújo que, em nome dos alunos da Escola Normal Primária saudou os fundadores do ensino normal paulista.
Da parte musical cumpre destacar o número para violoncelo ”Sans parole”, de Mendenlsohn, executado pelo aluno Resplandino Machado Pedrosa e “A meditação de Thais”, de Massenet, para violino, muito bem interpretada pelo aluno Nicolau Mortatti.
A senhorita Maria Escobar Pires disse com muito sentimento o “ Adeus” (aos marinheriros que partem) e as senhoritas Jandyra Teixeira e Hercilia Velloso recitaram com muita arte a “Jota” de Affonso Celso e “Os dois edifícios” de Valentim de Magalhães.”

 

 

Afficher l'image d'origine(ieccmemorias – A ENC no começo do século XX)
CD Antiga(Secretaria da Administração Penitenciária)

 

“Os dois edifícios” de Valentim de Magalhães, faz alusão à escola e à cadeia.

 

https://youtu.be/5jgIglWnPUI

Afficher l'image d'origine
(A ENC depois da reforma do seu prédio)
Anúncios
Esse post foi publicado em Publicações do jornal 0ESP desde 1894 sobre o IE Caetano de Campos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s