iecc-memórias – CCCLVII – Bagatelinhas do começo de 1919 sobre a ENC.

Como poderão  constatar, nossa escola passa por um período de seca quase total em relação ao que ali acontecia.

As vedetes dos  anos precedentes ao fim da década de 1910 que foram glorificadas nos artigos do jornal OESP são, sem dúvida, Oscar Thompson, João Gomes Jr. e Gomes Cardim e as grandes personalidades nacionais ou mundiais que visitaram a Escola Normal da Capital.

Do começo do século XX até os anos 50 os artigos publicados pelo jornal OESP vão estar sensivelmente menos numerosos e interessantes.

Aguardem e confiram.

 

ABRIL 1919:
13 e 26 /04/1919 algumas linhas sobre a eleição presidencial com votação realizada também no prédio da escola.

Eleição presidencial no Brasil em 1919

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
Eleição presidencial brasileira de 1919
  1918 ← Flag of Brazil.svg → 1922
13 de abril de 1919
  Epitacio2.jpg Rui Barbosa.jpg  
Candidato Epitácio Pessoa Ruy Barbosa
Partido PRM PRP
Natural de Paraíba Bahia
Votos 286.373 116.414
Porcentagem 70,96% 28,85%

Coat of arms of Brazil.svg
Presidente do Brasil

A eleição presidencial brasileira de 1919 foi a nona eleição presidencial e a oitava eleição direta. Foi realizada em 13 de abril nos vinte estados da época. O pleito foi realizado porque o vencedor da eleição de 1918, Rodrigues Alves, faleceu de gripe espanhola antes mesmo de assumir o cargo, e assim, não houve eleição para vice, pois esse havia sido eleito em 1918, sendo Delfim Moreira. Os resultados foram divulgados em 10 de julho.

Processo eleitoral da República Velha (1889-1930)

De acordo com a Constituição de 1891 que vigorou durante toda a República Velha (1889-1930), o direito ao voto foi determinado a todos os homens com mais de 21 anos que não fossem analfabetos, religiosos e militares.[1] Mesmo tendo o direito de voto estendido a mais pessoas, pouca parcela da população participava das eleições.[2] A Constituição de 1891 também declarou que todas as eleições presidenciais seriam realizadas em 1º de março.[3] A eleição para presidente e vice eram realizadas individualmente, e o mesmo poderia se candidatar para presidente e vice.

Durante a República Velha, o Partido Republicano Paulista (PRP) e o Partido Republicano Mineiro (PRM) fizeram alianças para fazer prevalecer seus interesses e se revezarem na Presidência da República, assim, esses partidos na maioria das vezes estiveram a frente do governo, até que essas alianças se quebrassem em 1930. Essas alianças são chamadas de política do café com leite.[4]

Nessa época, o voto não era secreto, e existia grande influência dos coronéis – pessoas que detinham o Poder Executivo municipal, e principalmente o poder militar da região. Os coronéis praticavam a fraude eleitoral e obrigavam as pessoas a votarem em determinado candidato. Com isso, é impossível determinar exatamente os resultados corretos.[5]

Candidatos

Dos cinquenta e oito (58) nomes sufragados para Presidente da República, os dois principais foram:

Resultados

A população aproximada em 1919 era de vinte e nove milhões e setescentas mil (29.700.000), sendo um milhão e setescentos e sessenta e seis (1.766.000) eleitores, dos quais compareceram quatroscentos e dezoito mil (418.000), representando 1,41% da população.

Eleição para presidente do Brasil em 1919
Candidato Votos Porcentagem
Epitácio Pessoa 286.373 70,96%
Ruy Barbosa 116.414 28,85%
Altino Arantes Marques 161 0,04%
Outros 612 0,15%
Votos nominais 403.560
Votos brancos/nulos 14.440
Total 418.000
Fonte:[7]

Nota geral: os valores são incertos (ver processo eleitoral).
17/04/1919(OESP)
Aceita como professora substituta efetiva na Escola Modelo Caetano de Campos, anexa da ENC a senhorita Maria Lucilla do Amaral Pinto.
MAIO de 1919
04/05/1919 (OESP)
Comemoração do 3 de maio , data que se festejava o descobrimento do Brasil

Diz o artigo que no dia 3 de maio,o feriado não passou desapercebido porque as repartições tinham bandeiras hasteadas, mas o grosso das comemorações aconteceu nas escolas públicas.(VER NO POST DE AMANHÃ)
07/05/1919

Aniversaria o reverendo Passalacqua, antigo lente da ENC e comissário da Ordem Terceira do Carmo.

24/05/1919(OESP)
Prorrogada por dois meses a licença médica da professora da Escola Modelo, anexa à ENC de Iasabel Monteiro de Castro.

Anúncios
Esse post foi publicado em Publicações do jornal 0ESP desde 1894 sobre o IE Caetano de Campos, Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s