iecc-memórias – 1921 na Escola Normal da Capital – Parte 2 – de julho a dezembro.

 

JULHO 1921 :

24/07/1921(OESP)
Instrução Pública
Alguns tópicos da mensagem presidencial apresentada no congresso estadual a 14 do corrente.
(pela lei n° 1750 de 5 de dezembro de 1920)
Quase impossível de ler a publicação; entretanto compilo um parágrafo importante, relativo às escolas normais:

“Assim as escolas normais já estão todas sob um mesmo tipo ficando completamente unificado o ensino superior no Estado, suprimindo por essa forma as distinções entre professores normalistas secundários, primários e complementaristas.
As escolas complementares completando, como o seu nome indica, o ensino médio, que , por sua vez desenvolve e amplifica o primário, não faz professores: prepara os alunos para o ensino secundário e para que se possam diplomar como professores nas escolas normais. Nestas, as disciplinas são as mesmas para que os professores, salvo as qualidades pessoais de cada um, sejam iguais para a uniformidade da instrução.
Já estão instaladas as 15 delegacias regionais e as 35 inspetorias escolares , destinadas a uma fiscalização mais eficaz do ensino, quer em relação ao aluno que o recebe, quer em relação ao professor que o ministra.”

Fora isso o artigo insinua que a redução do ensino primário para dois anos apenas, não é nenhuma novidade e o justifica sublinhando que das zonas rurais, distritais e de grupos escolares , o ensino varia de 3, 4 ou 5 anos!
Seguem-se subtítulos relevando das especificações da fiscalização da instrução nos:
– grupos escolares
– escolas reunidas
– escolas isoladas
– almoxarifados
– Escola de Medicina
– Escola Politécnica
– Escola Profissional masculina da Capital
-Escola Profissional feminina da Capital
– Escola Profissional de Amparo e – Escola Profissional masculina de Rio Claro.

 

AGOSTO 1921:
28/08/1921(OESP)
Contratado João Erasmo Bueno, durante o impedimento de saúde, do servente da Escola Normal da Capital, Antonio Rodrigues Teixeira, para substitui-lo como contínuo do mesmo estabelecimento.
15/08/1921(OESP)
Publicidade para a Escola Montessori, no seu XII semestre letivo, de propriedade do sr. Cyridião Buarque(que vai falecer em outubro de 1921) e dirigido pela caetanista, sua filha, Mary Buarque.

 

SETEMBRO 1921:

09/09/1921(OESP)
Comemorações do 7 de Setembro na Capital, contando com uma coluna do jornal OESP apenas para a Escola Normal da Praça:

NOTAS:

1- Não se esqueçam de ler os nomes dos alunos que se apresentaram; tem gente do clã dos Sampaio Doria, dos Forjaz, Paula Souza, Paes de Barros, Pereira Barretto e dos Monteiro Lobato!)

2- Verificamos a existência de um 3° período na Escola Anexa à ENC.
“Comemorando a data do 7 de Setembro, a escola Modelo Caetano de Campos, realizou ontem vários festejos.
Às 9 horas foi executado o seguinte programa:
“Saudação”- aluno : Dario Ribeiro Filho.
“Independência ou morte” – aluna Cecilia Sampaio Doria
“Aspiração “ – aluno Nestor Serapião
“Sete de Setembro” – aluna Esther Pilone
“Não dizer mal” – aluna Flavita Caiuby
“Sete de setembro” – aluno Octavio Pereira Lopes
“Não gosto de incomodar” – aluna Haydée Machado
“Sete de Setembro” – aluna Maria Lisboa Dias
“ A pena e o tinteiro” – aluno Edgar Monteiro Lobato
“Quando eu for grande”(monólogo – aluna Alba Paula Souza
“sete de setembro” – aluna Maria da Conceição Goulart
“A roda” (brinquedo) – pelas alunas do 2° ano B
“A lição de francês” (comédia) – pelas alunas em geral
“Independência ou morte” – aluno Joaquim Clemente de Moura
“Desaperto”(monólogo – aluna Zelia Forjaz
“A independência” (dialogo) – aluna Lydia de Moura e Carmelita Conti
“Dança Infantil” – alunas do 1° ano A
“A gulosa” (monólogo) – aluna Alice de Araujo
“Doente sem vê-la”) – (cena cômica) alunos Armador Campos e Arnaldo Pedroso Filho
“Tango” (cançoneta) – aluna Marietta Ferraz
“Minuet” – alunas Marietta Ferraz, Alice de Araujo, Guiomar Leme, Julia Machado e Cesarina Ondina.
“Hino Nacional”.

Às 13 horas , reunidos os alunos do Jardim da Infância, foi executado o seguinte programa:
“Hino do Jardim”
“Brinquedo”(do 1° período)
“Dueto”(primeiro período)
“As bolinhas”(canto geral)
“Brinquedo” (segundo período)
“ A criada” (cançoneta)
“Brinquedo” (terceiro período suplementar)
“As flores” (bailado)
“Dialogo”(primeiro período)
“Brinquedo” (Sete de Setembro)
“Batalhão”
Hino Nacional.

Finalmente, às 14 horas, realizou-se uma Festa Esportiva, sendo disputadas as seguintes provas:
“Bola-bola” – alunos da Escola Modelo
“Corrida das cores” – idém
“Pulo em altura” – alunos da Escola Normal; classificação:
1° prêmio – Donato dos Santos
2° prêmio – Antonio C. Guimarães Dias Filho Mascarenhas.
“Corrida às laranjas” – alunas da Escola Normal; classificação:
1° prêmio – Elisa de Moraes Barros
2° prêmio – Sophia Paes de Barros
“Corrida em saco-funil” – alunos do Curso Complementar
“Salto de lebres” – alunos da Escola Modelo
“Corrida com obstáculos – alunos da Escola Complementar
1° prêmio: João D. B. Reis
2° prêmio: Decio Pedroso
“Pulo com vara” – alunos da Escola Normal
1° prêmio: José Maria Borba
2° prêmio: : Antonio C. Guimarães Filho
“Exercício coletivo de ginástica sueca – alunas da Escola Complementar
“Salto de caixão” – alunos da Escola Normal
“Pirâmide “ – Em homenagem à data “7 de Setembro” – alunos: da Escola Normal
“Hino Nacional”
“Partida de base-ball entre s alunos do 3° e 4° ano da Escola Normal
“Coletivo de canto, dança e ginástica sueca” – alunas do Curso Complementar
“Partida de bashet-ball” entre as alunas da Escola Normal da Capital e os alunos da Escola Normal do Brás.(venceram as alunas da Praça)
Quadro da Escola da Praça :
Maria Rita de Freitas Camargo
Esther Meirelles Reis
Luiza Perbelins
Djanira Marcondes Machado
Maria José (?) Braz.
Sara Pereira Barretto
Alzira Machado
Célia Noff
Aracy Ribeiro e
Ruth Marcondes Tigre.
OUTUBRO 1921:

5/10/1921(OESP) Afficher l'image d'origine
Sepultamento do professor Cyridião Buarque no Cemitério da Consolação.
(resumo)
“Como foi noticiado e publicado , o professor Cyridião Buarque, lente da ENC, faleceu aos 3/10/1921”.
“O funeral teve grande concorrência, notando-se a presença do representante do presidente do Estado, do doutor Secretário do Interior, de delegações de lentes da Escola Normal, cujas aulas foram ontem suspensas, comissões de alunos, de funcionários da Escola, numerosos professores e muitos amigos e admiradores do extinto.
Discurasaram:
O lente Américo de Moura, ex-aluno de Cyridião Buarque, e o professor Sergio Ribeiro.
(…)
PS/ não encontrei arquivada no Acervo do jornal OESP a publicação referente ao falecimento de Cyridião Buarque, como se encontra escrito no artigo.

6/10/1921(OESP)
Anúncio da conferência do professor Djalma Forjaz no I. H. De São Paulo.
07/10/1921(OESP)
SENADOR VERGUEIRO
PELO DR. DJALMA FORJAZ ( do Instituto Histórico)
Realiza-se hoje, no Instituto Histórico, a esperada conferência do sr. Dr. Djalma Forjaz, professor da Escola Normal, sobre o senador Vergueiro.
Conforme ontem publicamos, esse trabalho além de interessante, será um valioso estudo.

NOVEMBRO 1921:

12/11/1921(OESP)
22/11/1921(OESP)

Por decreto(…) foi designado o lente em disponibilidade da Escola Normal da Capital, dr. Antonio Sampaio Doria, para reger a cadeira de Psicologia e Pedagogia do mesmo estabelecimento.

Afficher l'image d'origine(Gaensly -HSampa)

Visita do embaixador italiano:
(resumo)
(depois de ter visitado a Penitenciária do Estado e o liceu de Artes e Ofícios, onde foi recebido por Ramos de Azevedo, às 15 horas o sr. Luis Mercatelli dirigiu-e à Escola Normal, em companhia de sua esposa, do consul italiano e esposa, assim que de altas autoridades paulistas .
O sr. Embaixador e a sua comitiva foram recebidos na Escola pelo diretor de então, “Renato Jardim, o vice-diretor Gomes Cardim e o mastro João Gomes Jr., com os quais percorreram todos os departamentos daquele estabelecimento.
A visita começou pela Sala de Psicologia, sendo em seguida visitadas outras salas da Escola Modelo, anexa à Escola Normal. Os visitantes foram conduzidos depois ao Jardim da Infância, percorrendo as salas dos pequenos aunos que se achavam em aula.
O sr. Embaixador assistiu também a uma aula de música, na Escola Modelo, dada pelo maestro João Gomes que realizou diversas experiências com as suas alunas, como solfejo à primeira vista, etc., dando todas os melhores resultados. O sr. Mercatelli, ao retirar-se da sala, cumprimentou calorosamente o lente de música, pelo adiantamento das alunas.
A última parte do programa na Escola Normal, constou das peças literárias e musicais, cujo desempenho esteve a cargo dos alunos e foi executado no salão do Jardim da Infância.” (…)
Foi “entoado pelo coro a canção “Jurity, música do maestro João Gomes Jr..
A seguir, a senhorita Lucia Pacheco Jordão saudou o sr. Embaixador em belas palavras, lembrando a união íntima entre os dois povos, o brasileiro e o italiano, genuínos representantes da “raça italiana”(aspas minhas) (…)
(…)
“Foram ainda desempenhados os seguintes números:
“O mestre de dança” cançonete, pelos alunos do Jardim da infância;
“Gaiuramo”(? Dificil de decifrar), canção de João Gomes JR.;
“Desaperto”, pela aluna Marina Forjaz;
“Os músicos ambulantes”, pelos alunos do Jardim da Infância;
“Ginástica recreativa” , pelos alunos da Escola Modelo;
“O sino da roça”, canto regional;
“A orquestra”, pelos alunos do Jardim da Infância;
“Minueto”, pelos alunos da Escola Modelo”;
“O Guarani”, de Carlos Gomes(arranjo).
Ao retirar-se da Escola Normal, o embaixador cumprimentou o professor Renato Jardim, dizendo sair encantado com a recepção recebida na Escola Normal.
Da escola, a sra.d. Rosa Mercatelli, dirigiu-se em companhia da sra Tedeschi, ao Palácio dos Campos Elíseos, em visita à sra dona Sophia Pereira de Souza, esposa do sr.dr. Washington Luiz, presidente do Estado.

Nota minha: O diretor da Escola não era mais Azeveso Antunes, mas Renato Jardim.

Salão Amarelo em foto de Antonio Lúcio, de 1957- Acervo do jornal OESP)

Afficher l'image d'origineFigura 30 – Aspecto interno do palacete do 2º Barão de Piracicaba com a presença do genro Washington Luís e sua esposa, Sofia, filha do proprietário. Foto de autor -AHM desconhecido, início do século XX.
25/11/1921(OESP)
LEITURAS E CONFERÊNCIAS
Na Escola Normal:
“ A psicologia do homem e da mulher”, pelo dr. Plinio Olyntho.
O sr.dr. Plinio Olyntho, da Assistência Nacional de Alienados e lente da Escola Normal do Rio, realizará no sábado, na escola Normal da Praça da República, uma conferência sobre “A psicologia do homem e da Mulher”.

Postal n. 12, vista da Praça da República com a Escola Normal (Caetano de Campos)(idém)

DEZEMBRO:
30/12/1921(OESP)
FORMATURAS
Na escola Normal desta capital formou-se com ótimas notas o jovem Francisco Pecora, filho do sr. José Pecora, negociante nesta praça.

Anúncios
Esse post foi publicado em Parte II- Caetano de Campos - O QUE FOI PUBLICADO SOBRE A ESCOLA NORMAL A PARTIR DE 1920. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s