1920 – Parte II – Escola Normal da Capital

 

wilma schiesari-legris

Queridos leitores:

“A pressa é inimiga da perfeição”.

Certos provérbios servem de adágio e, no intuito de versar os documentos da minha gaveta virtual neste espaço, nem sequer passei pelo “andante”, indo diretamente ao “presto”!

Mil perdões; é que estou tentando acelerar a publicação do material coletado no acervo do  jornal O Estado de São Paulo, que traça a História da nossa Escola(Normal da Capital) em virtude de uma situação prosaica, que em breve lhes será comunicada, caso a mesma mereça real atenção.

Assim sendo, foram saltados os artigos e informações compilados do Acervo do Estadão referentes ao meses de fevereiro a dezembrodo  ano de 1920.

Sem demora , eles se encontram abaixo.

Abraços amnésicos,

wilma.

02/02/2016.

JANEIRO de 1920(publicado no post de 28 de janeiro de 2016)

JANEIRO NA ESCOLA NORMAL DA CAPITAL

Como vimos até agora, o jornal O Estado de São Paulo publicou muitos artigos sobre a Escola Normal da Capital entre 1894 e 1920.

minha primeira impressão é que esses anos passados foram os mais prestigiosos para a nossa escola, com uma grande massa de informações.

Talvez pelo fato do jovem diretor da ENC( Azevedo Antunes), antigo aluno do estabelecimento e introduzido na direção da escola através da pressão exercida por Oscar Thompson ter personalidade pouco marcante, começa a decair a quantidade de publicações no jornal OESP.

1915 talvez Ruy de Paula Souza 1909(Azevedo Antunes – ieccmemorias)

Somente a partir dos anos 50 , reflorece o prestígio da Escola Normal da Capital, então denominada Instituto de Educação Caetano de Campos, para começar seu declínio total no final dos anos 60.
21/01/1920(OESP)
Foi entregue ontem à senhorita Edith Monteiro, recentemente diplomada pela Escola Normal Primária, o prêmio “Prudente de Moraes” no valor de 360$000 e que é destinado ao aluno que conquistar a maior média no quatriênio escolar.

Afficher l'image d'origine(Anexo da escola onde foi feita a cerimônia)
Na mesma ocasião foram conferidos os prêmios “Pereira Barreto” no valor de 300$000 e destinado aos alunos que conquistaram a maior nota nos trabalhos de Física e Química e o prêmio “Rio Branco” no valor de 420$000 que compete aos alunos que obtiveram nota máxima em História do Brasil.
Conquistaram o prêmio “Pereira Barreto” as alunas Sheba Genaro, Joana de Oliveira Cunha, Maria Antonietta Borba, Beatriz de Barros Pires, Maria Ernestina Sette, Cyrene de Carvalho Rodrigues e o aluno Joaquim Sylas Cintra.
Fizeram jus ao prêmio “Rio Branco” as seguintes alunas: Dulce Rodrigues dos Santos, Ismenia Ferreira, Maria Ignes de Camargo Barros, Marina de Moraes Alves, Odette de Souza Carvalho, Eponina Jordão e Noemia de Magalhães Gomes.
Os concorrentes aos prêmios “Pereira Barreto “e “Rio Branco”, num gesto de filantropia e de sentimento patriótico desistiram dos direitos que tinham em favor às vítimas da seca do Ceará.
PS: dois terrenos na Vila Olympia, vendido no mes seguinte, eram anunciados por 150$000 e 500$000

Afficher l'image d'origine(Escola WEB)

     Pereira Barreto(ieccmemorias)

Afficher l'image d'origine(Barão do Rio Branco – (UOL Educação)
24/01/1929(OESP)
Inauguração do Grupo Escolar Católico, anexo à igreja Santo Antonio do Pari, no bairro do mesmo novo, cujo ensino deve ser equiparável ao oficial.
A alma do projeto cabe ao senhor professor Lourenço Rodrigues, lente da ENC e ex-diretor geral da instrução Pública de São Paulo.
                                pari

 

 

 

 

 

(Franciscanos)

31/01/1920(OESP)

ESCOLA NORMAL DA CAPITAL
CURSO COMPLEMENTAR
O “Diário Oficial” está publicando o edital chamando candidatos à matrícula no 1° ano feminino suplementar do Curso Complementar.
Tem direito à matrícula no referido ano todas as candidatas aprovadas nos últimos exmes de admissão, e as alunas da Escola Modelo que concluíram o curso e obtiveram até a média 8,1.
Ao 1° ano do masculino tem direito os alunos diplomados e que alcançaram a média 9,0.
Queixas e reclamações:
Recebemos de um estudante residente nesta Capital uma carta em que o mesmo reclama contra uma determinação do secretário do Interior, em virtude da qual foi mudado o horário das aulas da seção masculina da Escola Normal da Capital. Alega o reclamante que, sendo a maioria dos alunos dessa escola empregados do comércio, que só das horas da noite dispõem para o estudo, ficam agora impossibilitados de continuar o curso começado, bem como os que o prendem iniciar, de o fazer, representando esse fato um grande inconveniente, senão uma iniquidade para com a sua laboriosa classe.

 

FEVEREIRO de 1920

NADA ENCONTRADO!
MARÇO de 1920
03/03/1920
Movimento Associativo
Medicina e Cirurgia
(resumo)
O sr. Dr. Ayres Netto presidiu ontem mais uma sessão ordinária da Associação de Medicina e Cirurgia e, o artigo enumera as autoridades que colaboraram com a mesma, entre outras a:
Carlos Albero Gomes Cardim, diretor da ENSP, pelo concurso prestado por ocasião das conferências do professor Eduardo Rabello e do dr. José de Mendonça, realizadas no salão do Jardim de Infância e pelas gentilezas prestadas à sociedade durante as sessões.

09/03/1920
Escolas de Fachada
Escola Normal da Capital

O ilustre presidente Bernardino de Campos, em( homenagem)  a João Lourenço Rodrigues, um dos ornamentos do professorado paulista, publicou no “Annuario do Ensino” de 1907*, uma interessante monografia histórica da Escola Normal de São Paulo.

*ANNUARIO do ensino do Estado de São Paulo: 1907-1908. Publicação organizada pela Inspetoria Geral do Ensino por ordem do Governo do Estado. São Paulo: Typ. Augusto Siqueira & C., s. d.

18/03/1920
Por atos de ontem foram nomeadas: dona Lavinia Benevides de Rezende e Antonia de Almeida Sampaio para exercerem o cargo de substitutas efetivas no Jardim de Infância, anexo da ENC.; dona Maria Benevides de Rezende, normalista secundária para exercer o cargo de substituta efetiva na Escola Modelo Caetano de Campos, anexa à E.N.C..

NOTA MINHA: duas irmãs nomeadas(por indicação) no mesmo decreto; dona Lavinia continuou sua carreira e dirigiu o Jardim da Infância até 1958.

28/03/1920
O Externato Elvira Brandão, propriedade de uma caetanista premiada, continua fazendo publicidade dos seus cursos.
Rua Augusta, 296 – A

ABRIL de 1920
24/04/1920(OESP)

(João de Barros – Editorial Presença)Afficher l'image d'origine

Acompanhado do senhor Paulo Barreto(João do Rio), chegou ontem à esta capital, o ilustre escritor João de Barros, diretor da Instrução Pública de Portugal.
O festejado homem de letras, que vem ao Brasil em missão de aproximação entre porugueses e brasileiros, fará quarta-feira próxima na Escola Normal, uma conferência sobre –“O sentido do Atlântico na aproximação do Brasil e Portugal” , que com certeza, obterá um largo sucesso.
Se o tempo de que dispõe lhe permitir, s.s. ralizará ainda uma conferência (…)

(Academia Brasileira de Letras)Afficher l'image d'origine

MAIO de 1920
07/05/1920
Carnet do Estado

(E.E.cDr. Djalma Forjaz)Afficher l'image d'origine

Faz anos hoje: o sr. Dr. Djalma Forjaz, lente da EN Secundária.

18/05/1920
Assinado ontem o decreto nomeando o lente da 11ª cadeira da ENSC, Sampaio Doria, com o cargo de Diretor Geral da Instrução Pública de São Paulo.

(ufcg. educação)

29/05/1920

COISAS DO ENSINO
O PRIMEIRO TIRO
Resumindo a primeira parte do artigo, temos que o seu autor nos comunica do acerto do sr. Alarico Silveira, nomeando Sampaio Doria como diretor da Instrução Publica de São Paulo.
Logo adiante, o mesmo, que com seus pares acredirtava que Sampaio Doria poria na direção da ENC, na praça da República , 53, uma pessoa competente como , por exemplo Cyridião Buarque(pedagogo na ENC), João Borges(emérito educador) ou Frontino Guimarães(diretor de grupo escolar), vê-se , senão traído, pelo menos decepcionado com a nomeação de José A de Azevedo Antunes, “apoiado” com peso por Oscar Thompson.
Formado por uma antiga Escola Complementar, J.A. Azevedo Antunes foi para o interior dirigir uma escola isolada; diz o autor, que o “protegido” de Oscar Thompson realizou um curso de orientação(educacional) com as bênesses do padrinho, que depois o “mimozeou” com a direção de um grupo escolar e que, às pressas ele frequentou dois anos escolares para obter um diploma de normalista, passando a inspetor escolar e diretor dop Grupo Escolar de São Joaquim, que serviu de ponte para a obtenção do posto de diretor da Escola Normal do Brás.
O articulista rebaixa J.A. Azevedo Antunes à mera adjetivação de “mestre-escola “no lugar de ser pedagogo e de um “autômato” em vez de administrador! E a ele de corrigir o mal emprego do seu português, cujo discurso vem com erros de concordância.
Ao mesmo tempo, o articulista que assim se apresentou na revista “O Parafuso” do mes) ainda incensa o dr. Roldão Lopes de Barros por ter subido à direção da EN do Brás…

NOTA MINHA: Nepotismo e escolha de QI (quem indicou), eram práticas recorrentes na Escola Normal da Praça; por isso nada de ufanismos com frases tipo “A escola que mudou o Brasil”!

JUNHO  de 1920

13/06/1920(OESP)
FALECIMENTO
Monsenhor Passalacqua
Em Santos, onde se achava em tratamento de sua saúde, faleceu ontem, ao meio-dia, vitimado por “angina pectoris”, monsenhor Camillo Passalacqua, uma das figuras mais estimadas do clero paulista e venerando camisssário da V.O.T. do Carmo, desta capital.
(…)
Nascido a 7 de maio de 1838 em Scaléa, Província de Consenza, Itália, , viera para o Brasil criança, em companhia de seus pais, João e Raphaela Passalacqua, já falecidos. Matriculando-se no Seminário Episcopal, em obediência aos impulsos de seu coração, e aos desejos de seus pais, ordenou-se a 16 de junho de 1881. A seguir foi nomeado professor do Seminário, promotor e examinador sinodal de 1883 e mais tarde examinador da Instrução Pública e professor de “Pedagogia e Metodologia “ da
Escola Normal, ainda no tempo do governo provincial. Algum tempo depois, mediante concurso, foi promovido efetivamente naquela cadeira.
Fundou o Gymnasio Paulista em 1889 e em 1890 foi nomeado vigário da Paróquia do Conceição, em Campinas.
Em 29 de fevereiro de 1892 (…) Dom Kino Deodato de Carvalho, então bispo de São Paulo, nomeou-o comissário da V.O.T. do Carmo(…)
Em 1895, Joaquim Arcoverde, hoje cardeal, nomeou-o reitor do Seminário de São Paulo e em 18 de juho do mesmo ano foi agraciado com o título de Camareiro Secreto do Papa Leão XIII. Em 1900 foi elevado a Protonotário Apostólico “Ad instar participantium” e a 15 de dezembro de 1901 ainda Leão XIII conferiu-lhe o título de doutor em teologia. Em 1905 foi nomeado redator do Boletim Eclesiástico.
Foi fundador da Casa Pia de São Vicente de Paulo, do Gymnasio do Carmo, da Escola de Enfermeiras, do Instituto João e Raphaela Passalacqua, das Damas de Caridade(…)
Estudioso e pesquisador, publicou numerosos trabalhos cientiíficos e religiosos, tendo ultimamente doado a sua vasta biblioteca ao Clero Paulista(…)
A sua morte, como era natural, causou consternação na nossa sociedade(…)
A notícia ocupa toda a primeira coluna da página 5 da edicão do 13 de junho de 1920 no jornal OESP e vem ilustrada de uma foto do monsenhor, coisa ainda rara nos jornais da época.

14/06/1920(OESP)
Partiu ontem para Casa Branca, o sr. Lourenço Rodrigues, lente de pedagogia da ENPC.

JULHO de 1920
24/07/1920(OESP)
As alunas do 3° ano da ENPC ofereceram seus serviços para os trabalhos de recenseamento a serem feitos na Capital.

AGOSTO de 1920
NADA ENCONTRADO

SETEMBRO de 1920
7/09/1920
(apenas uma “tirinha”)
Vasto programa organizado pelos alunos da ENC.

09/09/1920(OESP)
A aluna da ENC Maria da Gloria (filha de Theodoro Sampaio) Sampaio perdeu sua mãe Cordellia Sampaio, professora do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.Afficher l'image d'origine

(Theodoro Sampaio; museu afrodescendente)

23/09/1920
Carnet do Estado
Aniversaria hoje a professora catedratica da ENC , a sra Felicidade Perpétua de Macedo.

(NOTA MINHA: cunhada de Arnaldo de Oliveira Barreto e de René de Oliveira Barreto, pessoas influentes na ENC)

OUTUBRO
06/10/1920
Aniversaria a menina primeiro anista da ENC, Raphaela Siqueira.

8/10/1920(praticamente a página toda, com dois clichês fotográficos)

OS SOBERANOS BELGAS

A chegada do príncipe Leopoldo – As homenagens de ontem aos soberanos- A visita ao Instituto Butantan e à Escola Normal – As recepções – Os jornalistas belgas – Partida para o interior – Várias Notas.

(…)

Nas festas de ontem realizadas, s.s. m.m. rei Alberto, rainha Elizabeth, o príncipe Leopoldo e Epitácio Pessoa(presidente do Brasil) , foram alvos de entusiásticas manifestações por parte dos estudantes e da população.

A chegada às 9h30’ na Estação da Luz(resumo)

(A Cigarra; Iba Mendes)

Muita gente em torno da Estação da Luz e do Jardim; estudantes dos cursos superiores de São Paulo com duas bandeirinhas que se agitavam, a nossa e a belga.
“As nove e meia horas deu entrada na Estação da Luz, sob uma tempestade de palmas e vivas, o trem que conduzia o duque de Brabante e era composto de uma locomotiva “Pacific”, um carro de bagagem, um carro-salão de luxo, com poltronas, dois carros-dormitórios e mais dois carros com passageiros. “
(…)
A comitiva, recebida com protocolo belga, seguiu em companhia do príncipe Leopoldo ao Instituto Butatan.
No dia seguinte, às 7 horas da manhã, em companhia de Washington Luiz, o presidente do Estado e, de Eduardo Prado Jr e do corenel Lejeune, diriu-se ao aeródromo de Guapira, de propriedade de Edu Chaves que ali mostrou seus dotes de avidor, onde já estava o rei Alberto.
O rei deixou o campo às 8h30’ para também se dirigiu ao Instituto Butantan.
Depois, o rei Alberto se dirigiu à Chácara do Carvalho onde lhe foram feitas recepções e onde recebeu todos os médicos, arquitetos e engenheiros brasileiros que se formaram na Bélgica.

NA ESCOLA NORMAL

Às 14 horas já era enorme a multidão que estacionava em frente do vasto prédio da Escola Normal, na Praça da República, estando o trânsito, neste trecho da praça, totalmente interrompido. Um cordão de policiais abriu m largo vácuo no seio da multidão para que pudessem entrar os carros dos régios visitantes, quando chegassem.
Dos portões de entrada até as escadarias nobres, formavam fileiras as alunas, uniformizadas, todas corregando cestinhos de pétalas de rosas, com que fariam cair sobre as cabeças dos soberanos à sua chegada.
A entrada do edifío estavam os senhores Sampaio Doria, Diretor Geral da Instrução Pública, dr. Roldão de Barros, diretor da Escola Normal do Brás e o dr. J. Antunes, diretor da Escola Normal da Praça da República, recebendo os convidados. O primeiro a chegar foi o doutor Alarico Silveira, secretário do Interior(…)
(…)


Cerca de 15 horas, o dr. Washington Luiz, presidente do Estado, em companhia de sua exma esposa, deixou o Palácio dos Campos Elíseos, para buscar s.s. m.m. para a visita da Escola Normal.
Foi às 15 horas e 30 minutos que o cortejo real deu entrada na rua do Arouche(…)
Em carro aberto, em frente do cortejo, vinha s.s.m.m. o rei Alberto, o priíncipe Leopoldo, Washington Luiz e o tenente-coronel Tilkens, ajudante de ordens do rei. Vinha logo a seguir, em limousine, s.s.m.m.a rainha Elizabeth, acompanhada da sra. Washington Luiz.

Em outros carros vinham( e seguem os nomes de membros da corte belga e da sociedade brasileira)
(…)

O rei Alberto e (…) (descrição de sua comitiva) subiram então os primeiros degraus do edifício com destino ao salão da Diretoria, sob vivas estrepitosos e delirantes.(…)
Depois de ligeira paestra onde o diretor teve a ocasião de cumprimentar os soberanos visitantes em nome do corpo docente e dos jovens alunos, encaminharam-se(…) para a sala de Psicologia Experimental, onde foram feitas algumas demonstrações.
(…) os régios soberanos tomaram rumo do anfiteatro do Jardim da Infância, onde teria lugar a parte mais interessante do programa.
(…)
Ao se aproximarem do Anfiteatro, as alunas soltaram 500 pombos das elegantes gaiolas.
16h
No interior, no grande Salão Circular, estavam mais de 1.000 moças e rapazes da Escola Normal do Brás e da Praça que (aplaudiam os convidados que se sentaram, em ordem protocolar, à mesa ornamentada com as cores da Bélgica.)
Em seguida, sob a regência do maestro João Gomes Jr. (…) o grande coro cantou “Brabançonne” e o Hino Nacional, que foram ouvidos religiosamente.(…)
Números cantados:
-“Suspiros”- J. Gomes Jr..
-“Sino da roça” de Cecy Aymoré.
“Sabiá” – J. Gomes Jr.
“Uyaras” –Alberto Nepomuceno
“Coral Orfeônico” com trechos de “O Guarany”, de  Carlos Gomes
“Tu renaitras” -Oral Orfeônico, com arranjo do nosso maestro.
(…)
Terminados esses números as alunas Helena Pacheco Jordão e Margarida Faumarchi falaram em francês.
(…)
Havia logo a seguir, demonstrações de ginástica calistônica – ou de embelezamento- que são exercícios de ginástica suéca combinados com dança ginaástica, que consta de “ fox-trotte” realizado por todas alunas com um só passo e um só tempo, ao som do violino.
(…)
Puderam, depois de fotografados com as alunas , o rei Alberto I, a rainha Elizabeth e o príncipe Leopoldo, deixar o pátio (…) e se retiraram às 16 h 30’.

Afficher l'image d'origine

(Ch. do  Carvalho  –  Barra Funda -onde se hospedaram os soberanos)

09/10/1920(OESP)

Visita do prefeito de Recife à ENC a ser feita às 13 horas desse dia.
O resumo da mesma, na data de amanhã, segue  aos 09/10/1920(OESP).

10/10/1920(OESP)
Visita do prefeito de Recife à ENC
O sr. Dr. Eduardo de Lima e Castro, prefeito de Recife , que há dias se acha a passeio nesta capital, visitou ontem, às 14 horas, a Escola Norlmal da Praça da Republica.
(…)
A entrada da escola, foi recebido pelo sr. Dr. Sampaio Doria, Diretor Geral da Instrução Pública e por Azevedo Antunes, diretor daquele estabelecimento.
E resumindo, percorreu todas as dependências da Escola e principalmente asquelas do Jardim da Infância.

31/10/1920 (OESP) aniversaria a aluna da Escola Complementar, anexa à ENC, a menina Maria José, filha do sr. Mario Reys, do Jornal do Commercio.

E

31/10/1920(OESP)
ESCOLA NORMAL
Homenagem ao professorn Américo de Moura

Conforme noticiamos, efetuou-se ontem, às 15 horas, no Salão Nobre do Jardim da infância da Escola Normal da Praça, uma sessão solene presidida pelo prof. Azevedo Antunes, diretor do estabelecimento e , perante inúmeras pessoas e todos os alunos, em honra ao sr. Prof. Américo de Moura, lente catedrático da E.N. Secundária. Abriu a sessão proferindo ligeiras e belíssimas palavras, o professor Antunes que, em seguida deu a palavra ao sr. Romeu Ferraz, que pronunciou o seguinte discurso, oferecendo ao prof. Moura valoroso mimo, pela satisfação de o verem terminar brilhantemente o seu curso na Faculdade de Direito.
Segue-se o discurso, onde os normalisrtas, sabendo do gosto do professor pela literatura, esclarecem o regalo: duas obras completas de Camões e Herculano)

NOTA MINHA:

Logo abaixo vem uma matéria sobre o Escotismo, que serve unicamente para que eu me lembre que em 1920 foi extinto o Batalhão Cesário Motta, imagino que pelo fato dos escoteiros poderem fazer o trabalho patriótico outrora desenvolvido com os meninos do Batalhão.

NOVEMBRO de 1920

05/11/1920(OESP)
Estarão abertas na Secretaria da Escola Normal da Capital, de 20 a 30 do corrente mes, das (?) às 15 horas, as inscrições para os exames de suficiência necessários à matrícula no 1° ano da seção femnina da Escola Normal Primária Anexa.

05/11/.1920(OESP)
REFORMA DAINSTRUÇÃO PÚBLICA DO ESTADO (mensagem presidencial remetida ao Congresso do Estado  )

(resumo)

Baseada no recente rescenceamento, a mensagem presidencial visa combater o analfabetismo que atinge a população do estado, simplesmente cortando de 4 para 2 anos o ensino elementar público que se torna obrigatório!
Diz o jornal que o estado teve em 1920 uma despesa de 26.744:953$000, dos quais 24.196:653$000 em preparar e ministrar o ensino primário.
Também cita que o Estado tem alfabetizado apenas 200 mil crianças e nem sequer conseguiu tornar o ensino elementar obrigatório: das 656.114 crianças em idade escolar, 468.800 ficam na total ignorância.
Sendo obrigatória(a escola), será exigida multa aos que não mandarem seus filhos à escola.
Para as crianças indigentes fica criada uma assistência escolar sob a forma de dom de material e/ou de tecidos para o uniforme, merenda e viagem em colônia de férias.
Nivelando por baixo, pensa o Estado que poderá a erradicar o analfabetismo.
E não é somente isso: o Estado pensa em mutilar os currículos dos cursos que darão continuidade ao ensino elementar e aos demais tipos de ensino até o superior, pois cria a Faculade de Pedagogia, separando-a das escolas normais…
As escolas complemantares , anexas às escolas normais passarão a ter dois anos com as seguintes disciplinas:
-língua vernácula e califasia(arte ou técnica de pronunciar as palavras de modo expressivo ou elegante – nota minha ) -11aulas /semana cada)
-Francês e latim(11)
-História e Geografia (9)
-Matemática e logicidade –(8)
Ciências Físicas e naturais (7)
Canto, desenho e trabalhos(6 cada)
Ginástica(8)
Segue o cv das escolas profissionais, também massacrante, inclusive porque andou caindo o idioma inglês desde o Normal!
Também segue o cv da Faculdade de Educação, concentrando duas disciplinas em uma (pedagogia e psicologia, educação da inteligência e educação moral, e por aí vai!)

NOTA:

1- os negritos são meus

2- Para a ENC nada muda porque seus estatutos são próprios)

14/11/1920(OESP)
Reforma do Ensino

Discurso de Sampoio Doria na Escola Normal da Praça da República; o seu primeiro discurso, alguns dias antes , foi feito em Piracicaba.
(resumo)
Seu objetivo é de “ desfazer as injustas e desencabidas acusações à defesa que me senti no dever”;  e defende o presidente,  que absolutamente não quer quebrar ou mutilar o aparelho da Instrução pública do Estado, mas levar a todos recantos a alfabetização eficiente.”
E a se defender, afirmando que teria se revoltado se realmente houvesse a possibilidade de redução de 4 para 2 anos do curso elementar e essa ideia não seria mais que uma balela ou boato: “Se com 4 anos atuais não bastam para uma educação primária integral, como então suprimir dois anos do curso?”
E desfaz a intriga, sob o pdv de um “sofisma verbal” vindo de Washington Luiz ao saber que 250 mil crianças estavam analfabetas em idade escolar! Citando o fato de ter respondido à uma circular enviada por Oscar Thompson, onde prognostica a modificação da organização escolar, para que com os mesmos professores e pouco gasto se lograsse a obter o dobro(de resultados positivos) e que apenas em cidades onde a frequência dos 3°s e 4) anos fosse reduzida por unificação, em detrimento dos dois primeiros anos… onde os professores de 3° e 4° seriam remanejados às classes iniciais.

16/11/1920(OESP)
Festa da Proclamação da República em São Paulo e no interior:
Que desastre estaria havendo na tão afamada Escola Normal da Praça que não mereceu nenhuma linha da redação do jornal. Este preferiu contar em detalhes tudo o que se passou no Instituto Profissional feminino , do Brás, onde as comemorações à data tinham algo de semelhante ao que outrora havia na Praça da República , 53.

27/11/1920 5OESP)
Terminaram hoje(dia 26/11/1920) os exames dos alunos do Curso Normal.
DEZEMBRO 1920
1°/12/20 (OESP)
Iniciam-se hoje, os exames de suficiência para a matrícula no 1° ano da Escola Normal Primária.
As candidatas serão chamadas de conformidade com a seguinte tabela:

Dia 1 – Português e aritmética, as inscritas de n° 1 a 20; francês e história, as inscritas do n) 21 a 40; álgebra e geografia, as inscritas de n° 41 a 60; anatomia e educação cívica, as inscritas de N° 61 a 80; desenho e música, as inscritas de n° 81 a 99.

Dia 3 – Português e aritmética, as inscritas de n° 81 a 99; francês e história, as inscritas do n° 1 a 20; álgebra e geografia, as inscritas de n° 21 a 40; anatomia e educação cívica, as inscritas de N° 41 a 60; desenho e música, as inscritas de n° 61 a 80.
Dia 4 – Português e aritmética, as inscritas de n° 61 a 80; francês e história, as inscritas do n° 81 a 99; álgebra e geografia, as inscritas de n° 1 a 20; anatomia e educação cívica, as inscritas de N° 21 a 40; desenho e música, as inscritas de n° 41 a 60

Dia 6 – Português e aritmética, as inscritas de n° 41 a 60; francês e história, as inscritas do n° 61 a 80; álgebra e geografia, as inscritas de n° 81 a 99; anatomia e educação cívica, as inscritas de N° 1 a 20; desenho e música, as inscritas de n° 21 a 40.

Dia 7 – Português e aritmética, as inscritas de n° 21 a 40; francês e história, as inscritas do n° 41 a 60; álgebra e geografia, as inscritas de n° 61 a 80; anatomia e educação cívica, as inscritas de N° 81 a 99; desenho e múusica, as inscritas de n° 1 a 20.
04/12/1920
(OESP) FORMATURAS
Em ação de graças pela terminação do curso , as professoras da Escola Normal Primária fazem celebrar hoje, às (?) horas , uma missa na igreja Santa Cecília.
Durante essa cerimônia será cantado o Hino cuja letra é do sr. Freitas Valle e a música do maestro João Gomes Jr..

                                              Afficher l'image d'origine

Anúncios
Esse post foi publicado em Parte II- Caetano de Campos - O QUE FOI PUBLICADO SOBRE A ESCOLA NORMAL A PARTIR DE 1920. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s