iecc-memórias – 1923 na Escola Normal da Capital.

Cada vez mais as publicações sobre a ENC se rarefazem no jornal OESP.

Entretanto aquele estabelecimento de ensino ainda é servil aos hábitos mundanos do poder e da alta sociedade.

O nepotismo,  usado na atribuição de cargos  dentro da ENC,  também era praticado entre os visitantes; vejam os nomes do ministro norueguês que visitou a cidade e o nome de seu anfitrião local!

Também podemos verificar que gente formada pela escola ou no seu quadro de profesores aproveitava do prestígio daquela entidade para fazer frutificar os seus negócios particulares…

A Escola deveria ter mudado o Brasil, mas foi o Brasil que a mudou!

1923
JANEIRO E FEVEREIRO

(nada encontrado no Acervo do Estadão)

MARÇO 1923.

04/03/1923 (OESP)
Foram removidos: – O adjunto do grupo escolar “Marechal Floriano”, da capital, Orlando DANTE, para exercer em comissão, igual cargo na Escola Modelo Isolada(no Largo do Arouche. – nota minha), anexa à Escola Normal da Capital.
– As adjuntasdonas Alzira CASTELLO, Mercedes MESQUITA DE CARVALHO e Edith CARNEIRO, adjuntas, respectivamente dos grupos escolares “Maria José” e “Barra Funda” da capital, para exercerem em comissão, igual cargo no Jardim da Infância, anexo à EN da Capital.
-Donas Branca DE AZEVEDO, Maria da Gloria ALBUQUERQUE FREITAS, Edeltrudes(?) GOMES RIBEIRO e Isabel VIEIRA DE SERPA PAIVA, adjuntas, respectivamente dos grupos escolares da rua de São João, São Joaquim, Cambuci e Arouche, da capital, para exercerem em comissão, igual cargo da Escola Modelo Caetano de Campos, anexa à ENC.

Nota: sabendo-se que os salários pagos na Escola Normal da Capital eram os mais altos do magistério, me pergunto até que ponto esses remanejamentos atendiam aos interesses particulares e políticos dos agentes e pacientes!

ABRIL 1923

Notícias diversas
Ministro da Noruega em visita ontem à capital

Afficher l'image d'origineAfficher l'image d'origine(Lab. Patologia Controle microbiano de insetos)

 
O sr. F. Herman Gad, minitro da Noruega no Brasil, presentemente em S. Paulo, continua realizando diversas visitas aos principais estabelecimentos da Capital.
Ainda ontem, pela manhã, o nosso hóspede visitou as instalações da Companhia Antártica Paulista, do que percorreu pormenoradamente todas as dependências.
Às 13 horas, o sr. Herman Gad , do Hotel Terminus, onde se encontra hospedado, dirigiu-se ao Automóvel Club , afim de tomar parte em um almoço, que lhe era oferecido pelo sr. Pedro Gad, cônsul da Noruega em São Paulo.
(segue a lista dos convivas na coluna do jornal)
Às 15 horas, a senhorita e senhorita Gad, acompanhadas de dona Marina Marchesini, visitaram a sra. Sophia Pereira de Souza, esposa do sr.dr. Washington Luis, no Palácio dos Campos Elíseos.
O sr. ministro da Noruega visitou à tarde, a Escola Normal da Praça da República, sendo ali recebido pelos lentes e alunos do estabelecimento, os quais lhe promoveram festiva manifestação.
Depois de uma minuciosa visita a todos os departamentos daquela escola, os visitantes foram conduzidos ao salão do Jardim da Infância, sendo ali recebidos por intensas palmas pelos alunos ali reunidos.
Depois de alguns números de canto e música, falaram ao  distinto visitante, o professor Djalma Forjaz e a senhorita Dulce Ribeiro.
Ambos os oradores fizeram referências aos vultos principais da Noruega, bem como à História daquele país.
(…)
(Segue-se a transcrição, em português, do discurso feito pelo sr. Gad)
“Senhores e senhoritas: Das muitas instituições que me causaram admiração nesta capital, pela sua organização e utilidade, foi , sem dúvida a Escola Normal que me despertou maior interesse. Tive o prazer de ver que aqui nesta casa não são desconhecidos os sábios de minha pátria, as coisas da minha terra.
Felicito aos distintos professores e alunos deste modelar estabelecimento de ensino pelos conhecimentos que demonstrataram ter da Noruega e agradeço-lhes as gentis e caprichosas palavras que me foram dirigidas e à minha senhora e filha.
Um Estado que possui uma Escola Normal como esta não pode deixar de ser grande, porque os professores que daqui saem para a vida prática, isto é, para ensinar futuras gerações, vão com um vasto cabedal de conhecimentos e com grande ilustração, convencidos ainda de que na escola das primeiras letras é que se formam os cidadãos úteis à patria.
Um bravo, pois, aos dirigentes da instrução pública de S. Paulo, pela admirável organização da mesma. Aos distintos oradores, os meus agradecimentos,pelos duscursos gentis e a minha gratidão pela comovente e inesquecível festa.

(…)Um "postal-propaganda", informando todos os benefícios existentes no local.²

28/04/1923(OESP)
Publicidade para o curso de preparação à entrada nas Escolas de Farmácia e de Odontologia de São Paulo, com a seguinte introdução:
“de Maximo de Moura Santos, diplomado em Farmácia e professor da extinta Escola Normal Secundária da Capital – Com 9 anos de prática no magistério público e particular.”
(…)
Rua do Carmo, 71 – São Paulo.

Máximo Moura Santos (37)(APE- oprofessor Moura Santos)

MAIO 1923
09/05/1923(OESP)
O secretário da Escola Normal da Capital, o dr. Francisco Eugênio de Toledo, reassumiu o exercício de seu cargo desistindo do resto da licença em cujo gozo se achava.
JUNHO 1923
11 e 13/06/1923(OESP)
Novo anúncio do curso do profesor Máximo de Moura Santos, agora também preparatório à entrada na Escola Normal da Capital.

26/06/19233
Anúncio da diretora do Mackenzie College situado na rua 7 de Abril, especializado “em repetição” das matérias de escolas secundárias e superiores e preparatório à entrada à Escola Normal e Complementar.
O argumento maior é dado às famílias do interior, cujas filhas estudam ou vão estudar na ENC e que , pela proximidade, não perderiam tempo e nem gastariam com transporte.
JULHO 1923
23/07/1923(OESP)
Notinha: dos 127 alunos matriculados na Escola Normal da Capital, apenas 21 concluíram o curso. Lembrem-se que os horários propostos desfavoreceram os alunos que trabalhavam.

AGOSTO 1923
12/08/1923(OESP)
Foi concedida uma licença de 4 meses em prorrogação ao lente da Escola Normal da Capital, dr. Reynaldo Ribeiro da Silva.

SETEMBRO 1923
O8/09/1923(OESP)
SOCIEDADE DE CULTURA ARTÍSTICA
Hoje, 08 de setembro de 1923.
Sarau , às 21 horas no Theatro Municipal
Com o concurso das alunas da Escola Normal da Praça da Rep
óíáúÁÉÇublica e do seu respectivo coro orfeônico – Regência maestro João Gomes Jr. –
Conferência do comandante Penna BOTTO sobre
ARMAMENTOS NAVAES
Os senhores sócios poderão ainda hoje procurar os recibos do mes de setembro, que dão entradas ao teatro, na Casa Beethoven das 12 às 17 horas.

(IMS)Afficher l'image d'origine

OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 1923
(NADA ENCONTRADO no acervo do jornal)

Anúncios
Esse post foi publicado em Parte II- Caetano de Campos - O QUE FOI PUBLICADO SOBRE A ESCOLA NORMAL A PARTIR DE 1920. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s