PARTE II – Caetano de Campos – De janeiro a março de 1938.

16 /01/1938(OESP)

ESCOLAS NORMAES (todas as categorias)

MATRÍCULA NO CURSO PROFISSIONAL DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR

As MATRÍCULAS NO CURSO PROFISSIONAL DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR, serão efetuadas de acordo com as seguintes instruções:

1° – Para a matrícula no 1° ano, o interessado  juntará ao requerimento de matrícula:

  1. Certificado de conclusão de curso fundamental, com o visto do delegado de Ensino ou do inspetor escolar por aquele designado, se se tratar de normal particular (com 5ª série sem fiscalização federal): ou de fiscal federal quando fornecido por estabelecimento oficial ou particular, sob inspeção federal;
  2. Certidão de idade, provando ter completado ou completar, até 30 de junho deste ano, 16 anos;
  3. Atestado de vacinação anti-variólica;
  4. Atestado de saúde e de ausência de defeito físico, psíquico ou sensorial que incompatibiliza com o exercício do magistério, passando na Capital pela Inspetoria de Higiene e Educação Sanitária e, no Interior, por médico de repartição subordinada ao Serviço Sanitário;
  5. Atestado de curso regular e completo de educação física feito durante o curso secundário, passado pelo professor da disciplina, com visto do diretor do estabelecimento.
    2° – Nos termos do decreto 6.304 de 2260361934, após a matrícula dos alunos repetentes, dos que concluiram o curso fundamental na própria escola e dos transferidos repetentes do 1° ano, as vagas por ventura restantes poderão ser preenchidas mediante concurso se o número de candidatos lhes for superior, por alunos que concluiram aquele curso em outras escolas normais e pelos diplomados por ginásios oficiais ou particulares com fiscalização federal, aqueles com preferência sobre estes.

3°- O concurso a que se refere o ítem anterior, constatará de provas escritas de português, matemática e psicologia (parágrafos 1° e 2° do artigo 4° do decreto 6.304), cujos pontos serão sorteados dentre uma lista de 15, organizados pelo programa oficial do curso ginasial e dados ao conhecimento dos interessados com antecedência de 48 horas; e realizar-se-á perante bancas, uma para cada matéria, composta de dois membros, impedidos de dela tomarem parte professores que estejam preparando candidatos para tais provas.

4°- No 2° ano a matrícula far-se-á por meio de requerimento, acompanhado do certificado de aprovação que se for de escola normal particular, terá o visto do delegado do Ensino ou inspetor designado, com firma reconhecida ou guia de transferência.

5°- Não haverá, em nenhuma classe, matrículas condicionais, devendo todas as matrículas estar regularizadas até 14 de março.

6°-  Nas escolas normais oficiais, em qualquer das hipóteses acima, a petição deverá estar acompanhada também do recibo de pagamento da 1ª prestação da taxa de matrícula.

A selagem dos documentos e o reconhecimento de firmas obedecerão às instruções da circular n° 29, de 25 de novembro de 1937, publicada no “Diário Oficial” de 26 do mesmo mes e ano.

 

FEVEREIRO de 1938

08/02/1938(OESP)

Instituto de Educação

Acham-se abertas as inscrições dos candidatos à matrícula no Instituto de Educação da Universidade de São Paulo.

Serão comissionados nos diversos cursos 48 professores em exercício, dos quais 23 no Curso de Formação de Professores Secundário, 15 no Curso de Administradores e 10 no de Aperfeiçoamento.

Para admissão aos cursos de Aperfeiçoamento e de Especialização de Educação Infantil, é exigido apenas diploma de professor primário por Escola Normal do Estado oficiais ou reconhecidas.

Para o Curso de Administradores Escolares é exigida a prova de 2 anos de efetivo exercício no magistério.

(…)

 

16/02/1938(OESP)

Efemérides

“1875 – Inaugra-se com toda a solenidade a Escola Normal de São Paulo. 

Compareceram ao ato o presidente da Província dr. João Theodoro Xavier, o inspetor geral da Instrução Pública, dr. Francisco Aurélio de Souza Carvalho, e muitas outras pessoas gradas. Fez uso da palavra o conselheiro Martim Francisco Ribeiro de Andrada. A escola ficou funcionando, a seção masculina, numa sala da Academia de Direito; a feminina, no Colégio da Glória, no Açu.”


MARÇO de 1938

19/03/1938(OESP)

DIRETORIA DO ENSINO

*Matrícula inicial nas escolas primárias

(RESUMO)

Matrícula inicial nas escolas primárias em escolas mantidas pelo Estado: 397.320 crianças.

Distribuição: 3045 escolas isoladas, com 107.427 crianças(média de 35,2 alunos por escola);

 7.314 classes de grupos escolares, com 239.893 alunos( média de 39,6 por classe)

Capital: 90.891 alunos matriculados, tendo subido para 103.642 para a Região, seguida de Ribeirão Preto, Jaboticabal, Sorocaba, Santos.

As Regiões com menos matrículas foram a de Presidente Prudente, Sta Cruz do Rio Pardo, Pirassununga e Itapetininga.

As mais atas médias de alunos por unidade escolar foram das regiões de:

Bauru, Jaboticabal, Presidente Prudente, Capital, Rio Preto, Santos, Lins, Araraquara.

As mais baixas foram: Casa Branca, Guaratinguetá, Pirassununga, Botucatu, Campinas e Itapetininga.

(…)

23/03/1938(OESP)

Manuel Lopes de Oliveira Filho

(resumo)

(minhas plantas.com.br)Afficher l'image d'origine

 

Com o falecimento do Manequinho Lopes, o editor de assuntos agrícolas do jornal OESP, depois de uma grande homenagem através de artigo ocupando três colunas, sugere que uma herma deveria ser  erguida no canteiro central do Jardim de Infância da ENC, com uma placa indicando “O pai das flores”.

(Se a herma não foi erguida ali, naquele local que deveria ser destruído no ano seguinte para que Prestes Maia iniciasse a nova avenida São Luiz, pelo menos Manequito Lopes deu seu nome ao viveiro do Ibirapuera.

(Abril.com; IV Centenário de São Paulo) Manequinho Lopes

No início do século XX, um senhor de longas barbas andava pela cidade com um guarda-chuva, cutucando a terra de jardins para testar a qualidade do plantio. Foi com tal dedicação que Manoel Lopes de Oliveira Filho se tornou o Manequinho Lopes, que dá nome ao viveiro do Ibirapuera. Entomologista formado na Alemanha, ele plantou eucaliptos na pantanosa região do parque e assim criou condições para o cultivo atual de quase cinco milhões de mudas por ano. Intoxicado por pesticidas, morreu em 1938, aos 68 anos.

 

 

Esse post foi publicado em Parte II- Caetano de Campos - O QUE FOI PUBLICADO SOBRE A ESCOLA NORMAL A PARTIR DE 1920. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s