PARTE II – Caetano de Campos – OUTUBRO de 1939

OUTUBRO de 1939

08/10/1939 (OESP)

Arcebispo Dom José Gaspar de Affonseca e Silva

(P. Correia de Oliveira)Afficher l'image d'origine

Recém empossado como arcebispo na arquidiocese de São Paulo, Dom José Gaspar de Affonseca e Silva foi recebido pelo governador nos Campos Elíseos e pelos universitários no Palácio São Luiz.

(idém)-Palácio São Luís, residência do Arcebispo de São Paulo – 1938. Localizava-se na atual Praça Dom José Gaspar, junto a Av. São Luís. Demolido para construção da Biblioteca Municipal M. de   Andrade.
                                               

Seguiu depois até a Escola Normal Modelo, onde precisamente às 15 horas foi recebido no saguão de entrada pelos alunos do curso primário e ginasial, que lhe cobriram de flores.

Á entrada principal aguardavam o  arcebispo de São Paulo, o sr. dr. Secretário da Educação e Saúde Pública, assim que o sr. diretor geral do Ensino e a exma sra. Carolina Ribeiro, diretora do estabelecimento.

Conduzido ao Salão Nobre, sentou-se à mesa ladeado pelos seus dois anfitriões supracitados.

Dona Carolina Ribeiro deu a palavra ao Secretário da Educação, o dr. Álvaro Guião e ouviu-se, então o Hino Pontifício executado pelo orfeão da Escola Normal.

Carolina Ribeiro discursou em seguida e o teor de sua alocução, foi  baseado no triângulo “Deus – Pátria –Família “. O mesmo encontra-se integralmente publicado no artigo.( Ah! (Que saudade do progama laico de antigamente… – nota bminha, clato!)

Seguiu-se um programa lítero-musical:

  • Saudação da senhorita Maria Apparecida Duarte;
  • Saudação do Jardim da infância, pela menina Heleninha Antunes;
  • “Exaltação” – poesia por Deolinda C. Tavares Paes;
  • “As tres mães” , poesia por Nely Eliezer Hirsh;
  • “Brasil” , poesia por Jenny Baptista Pinto;
  • “Um milagre”, por Hebe Mirian Dias e
  • “A cruz do arcebispo” , por Marieta Magaldi, todas alunas da Escola Normal Modelo.
  • A parte literária foi entrecortada por números de canto orfeônico regidos pelos maestros Mozart Tavares de Lima, João da Cunha Caldeira Filho e Frederico de Chiara:
  • Ave Maria (orfeão da ENM);
  • Baile na flor (orfeão do Curso Fundamental);
  • Cantiga de ninar (orfeão da ENM);
  • Invocação à cruz (orfeão do Curso Fundamental); e
  • Hino Nacional.

Em seguida o arcebispo discursou congratulando seus anfitriões, a quem preveniu que cabe aos mestres impedir que os princípios religiosos cristãos sejam perturbados por doutrinas antagônicas.

Em outro artigo do jornal OESP de 16/10/1939 tratando das homenagens recebidas pelo arcebispo de São Paulo na catedral da Sé, lê-se que o orfeão da Escola Normal Modelo ali se apresentou em sua homenagem.

E

SEMANA DA CRIANÇA (OESP; 08/10/1939)

(resumo)

As comissões técnicas responsáveis das comemoraçõesde 12 a 18 do corrente, da “Semana da Criança” reuniram-se ontem, na sede da Seção de Propaganda e Educação Sanitária (rua Barão de Limeira, 458).

PROGRAMA:

(pinterest)Parque da Água Branca. Entrada pela avenida Francisco Matarazzo.:
  • Dia 12, “Dia da Raça”; pela manhã no Parque da Água Branca; demonstração de ginástica infantil; desfile dos alunos da Escola Superior de Educação Física; demonstração de jiu-jtsu; demonstração de Educação Física Masculina; demonstração de Educação Física Feminina; revista dos escoteiros.
  • Às 21 horas; início da sessão solene no Theatro Municipal, com o Hino Nacional e a “Abertura da Semana da Criança”.

Dia 13 – “Dia da Criança asilada e hospitalizada”

  • Para as crianças hospitalizadas:

Distribuição de brinquedos no pavilhão Fernandinho Simonsen, na Santa Casa; saudação às autoridades; exibição do teatrinho “João Minhoca”; lanches e sessão de cinema.

  • Para as crianças asiladas:

Sessão de cinema no cine Babilônia; distribuição de lanches e balas; visita àquelas crianças que não puderam comparecer, com distribuição de brinquedos e livros.

Dia 14, “Dia do lactante”, com concursos de robustez infantil.

Dia 15; “Dia da Elevação espiritual”; em todos os templos de São Paulo.

Dia 16; “Dia da criança que estuda”, na Escola Normal Modelo da praça da República:

  • Início;
  • visita à Bibliotecada Escola e distribuição do jornal “Nosso Esforço”;
  • Discurso de Álvaro Guião, secretário da Educação e da Saúde Pública;
  • Entrega da taça “Cruzada Pró-Infância” à biblioteca que acusou a maior frequência de 1939;
  • Entrega do álbum dos “melhores estudantes de 1938 dos grupos escolares da capital”;
  • Demonstração de Educação Física pelos alunos do Jardim da infância e do curso Primário da ENM;
  • Lanche servido PELOS alunos
  • Posse da Diretoria do centro de Puericultura da Escola Normal Modelo.

Nas demais escolas deve ser executado o seguinte programa:

  • Movimento educativo com aulas de puericultura e de higiene alimentar (para os 4°s anos)
  • Movimento recreativo com filmes gartuito e outras festas;
  • Movimento Social: portas abertas aos pais, mestres e alunos;
  • Movimento Cultural com organização de bibliotecas e distribuição de prêmios;
  • Movimento de Assistência com distribuição de sopa e leite para as crianças necessitadas;
  • Movimento de Saúde;
  • Movimento e aproximação e cordialidade entre alunos de outras escolas.

Dia 17 – “Dia do menor que trabalha”.

Dia 18, “Dia das Mães”com:

(mercado livre)Afficher l'image d'origine
  • sessão no cine Metro;
  • entrega dos prêmios de robustez infantil
  • Distribuição do “Livro das Mãezinhas” do dr. Wladimir de Toledo Pisa
  • Encerramento da “semana” pelo dr. Humberto Pascale, diretor geral do Departamento de Saúde do Estado.
  • (Ganhadores do Concurso de Robustez de 1928
    (Fonte: Archivos de Protecção a Infância)Afficher l'image d'origine

 

29/10/1939 (OESP)

As excursões instrutivas das normalistas de Sorocaba

As normalistas de Sorocaba estiveram na Capital onde visitaram o Reformatório Modelo, a Penitenciária, o Museu doIpiranga, as obras da catedral metropolitana e a Escola Normal Modelo onde foram recebidas pela diretora, dona Carolina Ribeiro.

 

25/10/1939

Arcebispo metropolitano

Discurso de exma. Dra. D. Carolina Ribeiro, fundadora do Grupo São Paulo e diretora da Escola Normal Modelo.

(No Grupo São Paulo, referindo-se à data de 2 de outubro de 1933 e ao diretor geral do Ensino da época, o dr. Francisco Azzi, também herói de 32 quando, por plebicito dos pais e alunos aquela escola foi chamada “São Paulo”, oficialmente inaugurada aos 14 de novembro de 1933, com a biblioteca Anchieta. O discurso, drigido à sua atual diretora elogia os aspectos cristãos priveligiados na escola, em busca da fé e ali levar a imagem de Cristo crucificado. Dona Carolina Ribeira expõe todas as  qualidades do  “Mestre”)

(Quebrando Tabus)Afficher l'image d'origine
Anúncios
Esse post foi publicado em Parte II- Caetano de Campos - O QUE FOI PUBLICADO SOBRE A ESCOLA NORMAL A PARTIR DE 1920. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s