PARTE II – Caetano de Campos – 1944; abril

23/04/1944 (OESP)

Escola Normal “Caetano de Campos

A inauguração, na manhã de ontem, do Centro de Puericultura “Anita Costa”(em conexão com o Centro de Saúde) – Discurso do dr. Silvio Sucupira.

(resumo)

Presentes no salão central da Escola:

Capitão  Guilherme Rocha, representante do interventor Fernando Costa;

Lair Costa do Rego, representando dona Anita Costa;

Sebastião Nogueira de Lima, Secretário da Educação;

Comendador Mario Guastini,diretor da DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda-nota minha);

Gastão Liberal Camara, bispo da diocese de São Carlos, mais um leque de personalidades oficiais com dona Carolina Ribeiro e Sud Menucci, agora diretor do Departamento de Educação.

Falou de maneira muito “patriótica”, dona Carolina Ribeiro, homenageando a esposa do interventor – a então 1ª dama, que deu seu nome ao Centro de Puericultura.

A bênção foi dada pelo bispo Gastão Liberal Camara.

Na reportagem segue o discurso do médico do Serviço Ecolar, Silvio Sucupira, se remomorando que o Centro fundado há 11 anos, recebe agora o novo Dispensário, que além de proteção à criança, serve de aprendizado de puericultura aos alunos da Escola Normal.

Outros discursos foram feitos.

 

26/04/1944 (OESP)

Homenagem à educadora Zalina Rolim

(no Centro do professorado Paulista , dação do professor Sud Menucci)

(resumo)

Sob a presidência do sr. Sebastião Nogueira de Lima (Secretário da Educação) a homenagem realizou-se na véspera, no CPP.

Sud Menucci discursou, em estilo parnasiano e suas palavras estão transcritas na reportagem, resumindo a história da nova Escola Normal, primeiro com Caetano de Campos, depois com Gabriel Prestes, época em que a poeta Zalina Rolim1896-a publicou seus versos em São Paulo e o livro “Coração” , defendido pelo poeta Olavo Bilac, e que serviu de etímulo ao diretor da Escola Normal, para que a autora fosse integrada nos quadros do nosso Jardim da Infância; e sublinhou que nos dois únicos volumes da “Revista do Jardim da Infância” encontramos consignados os trabalhos de poesia, contos, traduções que Zalina Rolim fez para a Escola.

Sud Mennucci considera Zalina Rolim como uma precursora da literatura infantil em São Paulo.

O orfeão Mariano, de Piracicaba, ali presente, entoou canções cujas letras eram da poetiza.

Zalina Rolim discursou e recitou “Saudade”.

Seguiram-se as palavras do Secretário da Educação, que anunciou a criação de uma escola estadual com o nome da homenageada.

Abaixo todo o volume 1 e 2 da Revista do Jardim da Infância;

basta clicar!

 

http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=216690&pasta=ano%20189&pesq=

Anúncios
Esse post foi publicado em Parte II- Caetano de Campos - O QUE FOI PUBLICADO SOBRE A ESCOLA NORMAL A PARTIR DE 1920. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s