Homero Jr falando dos Mutantes.

Da Caetano, Caetanices e Caetanistas. Linha do tempo!

Na semana que passou Rita Lee lançou sua biografia “Rita Lee, uma autobiografia”. Lendo a obra, que recomendo, por uma passagem, a da sua saída dos Mutantes, onde ela rasgou o verbo nos Mutantes, em especial no ex-marido, o Arnaldo Baptista, a memória formou uma narrativa.
Arnaldo estudou na Caetano, como muitos sabem, e ele, Rita e Serginho, o irmão, ainda não batizados Mutantes pelo Ronnie Von, se apresentaram, se não a primeira, uma das primeiras vezes no nosso teatro no prédio da Praça. Fomos muitos de nós o privilegiado público desses shows!
12 de agosto de 1968, já Mutantes e famosos, participam da noite histórica do lançamento do movimento tropicalista com o do disco “Tropicália ou Panis et Circensis” no Avenida Danças, pertinho da nossa escola, Rio Branco esquina com a Aurora. O Avenida Danças, assim como todos os dancings, foi de inestimável importância pra nossa cultura, pra nossa música. Os profissionais, depois muito famosos que lá se apresentaram, que iniciaram carreiras são inúmeros. No Avenida, nessa época, 1968, a orquestra era a do Silvio Mazucca, famosíssima, espetacular, e que tantos bailes nossos de formatura animou. Os dancings tiveram entre outros crooners, Elizete Cardoso, Agostinho dos Santos, Francisco Egídio e Jorge Goulart. Mas essa noite tinha, alem do Arnaldo, outro personagem, mesmo que indiretamente, ligado à Caetano! O proprietário do Avenidas Danças era pai de uma Caetanista, Dagmar Ferreira! Que não é a “toda soltinha” do samba do Billy Blanco, mas bem que podia ser!!
1994, a escolinha ia fazer 100 anos, o prédio da escola na verdade; mais verdadeiro ainda, só os dois primeiros andares. Nada ia ser feito até que as pioneiras Dagmar e Eliana Cáceres, com a presença inspiradora do Dr. Modesto Carvalhosa, reativaram a Associação dos Ex-Alunos do IECC, e, em um esforço imenso deles, pudemos comemorar a data, com festa, com a edição de uma brochura comemorativa do evento e, tão importante quanto, com o início desse movimento maravilhoso de recuperação de nossa memória, de nossa história.

P. S. A Eliana, infelizmente, não está mais conosco, mas à Dagmar e ao Dr. Modesto devemos ainda uma homenagem, um agradecimento por tudo que eles fizeram e representam. Esse minuto de memória é a minha pequena homenagem. E antes que me esqueça: Dagmar Ferreira, pedi tua autorização e você deu (faz muito tempo, é verdade!), pra escrever sobre você e teu pai, lembra-se? Ao seu pai devo, agradeço e homenageio a alimentação do imaginário, quantos sonhos induziu, a você a amizade irrestrita.

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Homero Jr falando dos Mutantes.

  1. Octaviano Galvão Neto disse:

    Queridas Wilma e Dagmar;

    Se me permitem o comentário (principalmente você Dag), a Dagmar estava longe de ser “toda soltinha dentro de um vestido saco” (aliás ela odiava a música, se ão me engano), até porque seu pai e mãe foram extremamente cuidadosos e rigorosos em sua educação. Ela era um doce de criatura, gentil, educada e suave, apesar de caráter firme) e tão comportada quanto uma mocinha de 16 anos devia e podia ser naquela época. Pelo menos é o que as minhas lembranças me dão conta.
    Um grande e carinhoso abraço às duas.

  2. Homero disse:

    Esse texto foi retirado do meu perfil no Facebook e sem minha autorização. Não concordo e não permito que isso aconteça, mas a falta de educação e desonestidade da vilma em nem ao mesmo citar a fonte dos seus “roubos” é extremamente desagradável. Retire imediatamente
    esse texto daqui!!!!!

    • Esse texto chegou na minha caixa pessoal de e-mails porque não faço mais do seu grupo do Facebook para evitar desgostos de apreciações primárias sobre aquilo que escrevo.
      Acho que você, Homero, se engana quanto ao meu perfil; ao contrário, sinto-me absolutamente honesta e poderei relatar a você qualquer assunto que lhe incomode.
      Você está livre de fazer qualquer comentário sobre meus livros, meu “site” e sobre a minha pessoa, que terei o maior prazer em lhe responder; o espaço do ieccmemorias é livre e terei grande prazer em publicar todas as suas palavras em relação ao que sou e faço; assim você vai colaborar com a quantidade de visitas que o site possui; hoje ela chegou a 277.791 e com a sua colaboração continuaremos a crescer.
      Aproveite também para ler as transcrições que faço do jornal OESP sobre o IECC e que faz tempo, já chegaram ao segundo milhar e consulte sobretudo os quase 200 perfis de alunos conhecidos que passaram pela nossa Escola.
      Também gostaria de saber porque você foi tão cavalheiro quando nos falamos po telefone há uns anos atrás e de repente virou-se contra mim…
      Abraços caetanistas, wilma.

      • Homero disse:

        Um único esclarecimento, dado pela sua oportuna pergunta sobre a minha mudança de atitude em relação a você. Seus ataques á Dagmar e à sua família, usando covardemente um espaço público, onde todo o seu preconceito, inveja e rancor se manifestaram e expôs o teu caráter, justifica plenamente minha mudança. Mudança, aliás, seguida por um imenso número de pessoas que se solidarizou com a Dag execrando teu comportamento, o que até te fez sair de um dos grupos do Facebook. Aliás, caro Otaviano, onde a sua educação e respeito a uma senhora como a Dagmar, tão elogiada em seu texto primeiro, estavam quando desse desrespeito?

      • Por favor, releia com atenção tudo o que escrevi publicamente e que você considera injurioso e depois me diga onde se encontra a, ou as injúrias. Grata; abraços caetanistas,

        wilma.

        ieccmemorias.wordpress.com

    • Octaviano Galvão Neto disse:

      Prezado Homero, boa noite.

      É com grande surpresa que vejo sua reação à inocente publicação da Wilma. Afinal de contas, como devido por alguém de seu caráter, ela lhe deu os créditos. Inequivocamente, sem qualquer sombra de dúvidas, ao contrário do que você afirma.
      Assim, creio eu, ela poderia ter feitio com um texto do Jânio de Freitas da FOLHA, da Eliane Catanhêde do ESTADÃO, do Cony, ou de qualquer outro autor / jornalista.
      A menos que você, EXPLICITAMENTE, tenha um aviso em seu Facebook proibindo alguém de fazê-lo, não há qualquer razão para tanto aborrecimento. Um exagêro !
      Por outro lado, caro amigo, mesmo que tal aviso exista, o que é uma possibilidade, qualquer que seja uma eventual desavença existente entre você e a Wilma, não creio que uma senhora (me desculpe, Wilma, mas já passamos dos 60, todos nós), deva ser tratada desta forma. Educação e respeito é bom e nós muito os apreciamos.
      Aliás, é pedra angular em qualquer tipo de relacionamento humano civilizado.
      Creio que ela está por merecer um pedido de desculpas público de sua parte.
      Humiladde também faz parte.

  3. Obrigada, sinceramente. wilma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s