1822 -(c) A professora dona Catharina Amelia do Prado Alvim passa por cima da lei!

10/11/1882 (APSP)

O dr. Godofredo Furtado escreve ao president da província renunciando ao convite para dirigir inteirinamente a Escola Normal, pelo fato de estar sobrecarregado com aulas partiulares e aulas na Faculdade de Direito.

 

26/11/1882 (APSP)

Instrução pública

Por despacho de 21 do corrente foi declarada efetiva a nomeação da professora do curso primário anexo da Escola Normal, dona Catharina Amelia do Prado Alvim. !!!!!!

(exclamação minha)

 

26/11/1882 (APSP) resumo

A Província de São Paulo (editorial por Rangel Pestana criticando o delegado do governo central)

Relata Rangel Pestana que a Escola Normal encontra-se sem diretor e sem professor de química e de física, desde que o diretor Paulo Bourroul zarpou para a Europa e que Godofredo Furtado não aceitou o cargo de diretor interino da mesma; aquilo desde  o 5 até o 23 de novembro.

 

30/11/1882 (APSP)

Novamente Rangel Pestana acusa o dr. Francisco de Carvalho  Soares Brandão (foto 1) de indolência em relação à Escola Normal, que ficou muitos dias em diretor, sem professor de francês e de física e química, até que fosse nomeado interinamente, o dr. Theophilo Dias, que também cedeu o lugar ao dr. Sá e Benevides (foto 2).

(1- Digital- Funadj) 
(José Estácio de S áe Benevides -ieccmemorias) Résultat de recherche d'images pour "dr. sa e benevides escola normal capital"

« Os exames devem começar do dia 3  ou 4 de dezembro e o novo professor, médico ilustrado mas sem prática de ensino, vai encontrar-se  com os alunos sem conhecer-lhes as forças, sem tempo de verificar o que eles aprenderam e como aprenderam. »

02/12/1882 (APSP)

Menino de 6 anos agredido na Escola Alemã foi examinado pelo dr. Antonio Caetano de Campos depois de levado aos locais do jornal  APSP.

(Colegio Visconde de Porto Seguro)
Em 22 de setembro de 1878,  o cônsul honorário da Alemanha, Bernhard Staudigel, e um grupo de compatriotas fundaram a Sociedade Mantenedora da Escola Alemã. Superadas as dificuldades iniciais, a Deutsche Schule, instalada em um prédio alugado, na Rua Florêncio de Abreu, no Centro de São Paulo, abriu suas portas a 52 alunos em 7 de janeiro de 1879.
(1913: o Colégio é transferido para a rua da Consolação onde se instalou a E.E. Caetano de Campos, depois que o Instituto de Educação foi desmembrado in Colegio Visconde de Porto Seguro)
)

31/12/1882 (APSP)

Escola Normal

Formaram-se professoras  as senhoras :

Amelia Augusta da Fonseca

Maria da Gloria Bittencourt

Rita de Almeida Oliveira

Felicidade Perpétua de Macedo (futura importante personagem  na História da ENC)

Deolinda de Paula Machado Fagundes

Olympia Martins Meira Vieira

Galdina America de Almeida

Isabel  Maria da Gloria Vieira

Mariana da Gloria e Silva

  E professores, os senhores:

João Francisco Bellegarde

Antonio Hypollito de Medeiros

Antonio Louzada Antunes

José Ignacio de Toledo

Frederico Guilherme Hoppe

Joaquim Ignacio de Oliveira Leite

Joaquim Luiz de Brito

José Gonçalves Pereira Bittencourt

José Joaquim de Oliveira Jr.

Julio Cesar de Oliveira

João de Oliveira Fagundes

Marcolino da Luz.

Anúncios
Esse post foi publicado em A história da Escola Caetano de Campos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s