1886 – (c) 4° Trimestre – O Imperador visita a Escola Normal.

05/10/1886 (APSP)

Nomeação de José Custodio Ferreira da Silva como porteiro da Escola Normal.

E

Prolongada a licença do professor João Pereira Querido para continuar a estudar na Escola Normal.

 

22/10/1886 (APSP)

Viagem imperial

Durante o dia de ontem, ss.mm. e comitiva visitaram diversos estabelecimentos de indústria e de ensino desta capital.

S.m. o Imperador, nas escolas públicas, interrogou alunos e alunas.

Visitando a Escola Normal, s.m. notou grande falta de aceio que ali existe.

Às duas horas dirigiu-se ao campo da Bella Vista, onde em sua presença e com grande concurso popular teve lugar a cerimônia da primeira pedra para a construção do edifício da escola.

À noite, s.m. e comitiva dirigiram-se ao Liceu de Artes e Ofícios e assistiram ali a inauguração do Museu Pedagógico.

 

24/10/1886 (APSP)

No dia 30 do  corrente começarão as provas escritas na Escola Normal.

09/11/1886 (APSP)

Escola Normal

Resultados dos exames de ontem:

1° ano –Aprovados

João Baptista Ferreira da Cunha

Francisco Vieira da Silva

Gabriel Prestes (futuro grande diretor da Escola Normal)

Joaquim Francisco de Oliveira

Ramon Rocca Dordal(grande nome da Educação)

-dois reprovados; um não compareceu.

 

18/11/1886 (APSP)

Escola Normal

Resultado dos exames de ontem:

Aprovadas:

Elisa Malheiros de Faria

Guilhermina A. Mallet

Maria Candida da Rocha

Adelaide Augusta de Lemos

Carolina A.G. de M. Lacerda

Benedicta Ernestina do Prado

Maria Adelaide de L. Moreira

Rita de Cassia Silva Bueno

 

Cinco reprovadas; cinco não compareceram e quatro não se apresentaram.

 

23/11/1886 (APSP)

Reassumiram seus cargos os professores Julio Ascannio Mallet e sua

Esposa que estiveram em licença para frequentar a Escola Normal.

 DEZEMBRO

1°/12/1886 (APSP)

Diplomas

Entregues ontem, às 13 horas, em presença do sr. Dr. Presidente da província*, quatro professores da Escola Normal e dois delegados do governo, com acompanhamento da Banda do Corpo Policial.

Discursou o rvdo Passal’acqua em nome dos professores.

*Antonio de Queiroz Telles

02/12/1886 (APSP)

(Aos 08/12 e 25/12/1886 Rangel Pestana volta ao caso)

Edital

O Imperador e a Instrução Pública

Tendo visitado escolas, o imperador ficou espantado quando um aluno recitou o Credo como aprendera na sua diocese e que era diferente daquele preconizado no ensino público, embora a professora da classe que visitou fosse normalista capacitada, aplicando métodos modernos.

Rangel Pestana critica a estreiteza de espírito de s.m., que por sinal reprovou a atitude da professora.

São Paulo Passado

E

Retorna ao seu posto de Pirassununga ,  formado pela ENC, o professor Francisco Conceição.

E

Em despacho da presidência provincial, Carlos Reis tem seu processo enviado ao diretor da EN.

 

08/12/1886

APSP ; Diretor Rangel Pestana

Escola Primária da Neutralidade (inspiradora da nova Escola Normal Anexa a partir de 1894)

Fundada por João Kopke tem à sua frente o dr. Geraldino Campista (formado em direito ) e o prof. Jorge Correa Galvão(formado pela ENC) e esteve ao lado do dr. Antonio Caetano de Campos.

Segue o conteúdo de todas as cadeiras e seus programas (Aritmética, Geografia, HistóriaPortuguês, incluindo Inglês e Francês para alunos de 7 aos 13 anos.

Ficamos sabendo que um dos atuais diretores  é o sr. Jorge Galvão, normalista formado pela Escola Normal de São Paulo.

 

14/12/1886

“Sociedade dos Homens de Letras”

Na casa do dr. João Mendes houve sessão anteontem e foram nomeados:

Conselheiro : Joaquim Ignacio Ramalho

dr. Raphael de Aguiar Paes de Barros

Manoel Jorge Rodrigues

João Carlos da Silva Telles

 Godofredo José Furtado (professor da EN)

Antonio Manoel Bueno de Andrada

Ezequiel Freire

João Thomaz Carvalhal

Carlos Garcia

Antonio Caetano de Campos

Bento de Camargo

Coronel  Joaquim Sertorio.

 

17/12/1886 (APSP)

Editorial

Dois reformadores para a nossa Escola Normal

Proposta de Paulo Issberner e Carlos Gerke, recomendados pelo ministério do Império, sob os cuidados do Barão de Mamoré.

Rangel Pestana mostra-se completamete contra esse tipo de tentativa de centralização.

24/12/1886 (APSP)

Licença de matrícula na Escola Normal, concedida ao sr. Joaquim Pereira da Costa.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em A história da Escola Caetano de Campos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s