1888 (c) O cônego Manoel Vicente cria caso na Escola Normal.

Página temporária

Queridos leitores:

Apressado come cru e, não se deve colocar a carroça na frente dos bois.

Saltando um trimestre. cometi o engano de publicar os artigos de APSP relativo aos escândalos da nossa Escola Normal  correspondentes ao derradeiro trimestre de 1888.

Aqui vai o mesmo, que adicionarei também dentro da cronologia da época, no lugar do blog que convém.

Abraços confusos,

wilma.

11/05/2017.

 

Julho de 1888.

12/07/1888(APSP)

Transcrição da resposta do cônego Manoel Vicente ao Diário Popular:

“A pressão que houve na Escola Normal foi positivista e não clerical.  Peço uma corrigenda ao seu noticiário.”

À parte a palavra “pressão”, o que se faz certo é que há luta entre a diretoria e a Escola e os elementos não clericais do corpo docente e do corpo de alunos.”

20/07/1888 (APSP)

Escola Normal

Diz o “Federalista” não ser verdade que qualquer dos professores da Escola Normal tinha renunciado à sua cadeira ou tenha pedido demissão.

22/07/1888 (APSP)

Licença de um mes para tratamento de saúde concedida ao sr. João Custodio Fernandes Silva, porteiro da Escoa Normal.

 28/07/1888(APSP°

Coluna do Editorial arguindo pelos ptofessores da Escola Normal, drs. Godofredo Furtado e Cypriano José de Carvalho que partem da escola devido aos tumultos criados pelo diretor, o cônego Manoel Vicente .

Escola Normal

(resumo)

Ambos professores preferem retirar-se da Escola Normal após o escândalo provocado desde sua volta temporária àquele  estabelecimento de ensino, pelo fato que um pai, acompanhando sua filha, não teve autorização de assistir a uma aula do dr Cypriano; o dr. Godofredo apoiou o colega.

A queixa do dr. Cypriano, materializada em folheto, deveria apoiar-se no Regulamento (segredo do ensino e privilégio aos alunos) e não no quesito “honra pessoal”.

Ironia do editorialista: “Pobre Escola Normal. Aquilo acaba em um seminário misto dos Irmãos de São José.”

(ieccmemorias)

 

Agosto de 1888.

1°/08/1888(APSP)

Concedida a exoneração do professor da Escola Normal, Godofredo Furtado.

18/08/1888(APSP)

Do governo provincial:

Foram nomeados o engenheiro civil Constante Affonso Coelho e o farmacêutico formado José Eduardo de Macedo Soares para, interinamente , regerem: o primeiro, a cadeira de aritmética e geometria; o segundo, a de física e química, ambas na Escola Normal.

Setembro 1888

12/09/1888 (APSP)

Concedida licença remunerada de dois meses a Antonio Militão de Souza Aymberê, professor de aula anexa da EN.

16/09/1888 (APSP)

Concedida licença remunerada de dois meses a Theodoro Antunes Maciel, preparador de física e química da Escola Normal.

Anúncios
Esse post foi publicado em A história da Escola Caetano de Campos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s