Dr Nalini escreve:

 

Escola: vetor de inovação

O avanço das tecnologias da informação e da comunicação veio para ficar. A desenvoltura com que as novas gerações se servem dos equipamentos eletrônicos é notável. Descobrem de imediato aplicativos. Comunicam-se com rapidez e instantaneamente fazem circular as informações de seu interesse.

Há experiências interessantes em curso. Uma delas é o “aluno tutor”. Um jovem afeiçoado à tecnologia pode ser multiplicador da facilitação de seu uso não só para colegas, mas também para professores e outros profissionais da educação.

Essa contaminação para o bem é mais importante até do que a automação. As salas de aula ainda não mudaram. Continuam fisicamente como há séculos. Fileiras de carteiras, dificuldade de interação. Aulas prelecionais e técnicas pedagógicas distanciadas do interesse do alunado.

                        

O bom uso de tudo aquilo que a tecnologia obteve nos últimos anos permitirá verdadeira revolução na escola. A tecnologia da comunicação e da informação permite melhor comunicação, eficiente armazenamento de dados, implementação de uma estratégia de colaboração que fará de corpos autônomos uma equipe coesa e direcionada à obtenção do melhor resultado, além de um gerenciamento eficaz.

Tudo se torna mais fácil quando o aluno é chamado a colaborar com a escola, propondo, sugerindo, assumindo responsabilidades e atuando como protagonista, não como objeto-destinatário de um projeto educacional a cuja elaboração não foi admitido a participar.

Tudo indica estarmos numa encruzilhada importante e desafiadora. Adota-se uma nova Base Nacional Comum, rumo à adoção de currículos adaptados à realidade local. O ensino médio merecerá as reformas tão esperadas e necessárias. Se há um consenso na educação brasileira é a de que depois da fase fundamental, quando o aluno já adquiriu discernimento e capacidade de escolha, ele se desencanta com o anacronismo da escola.

Todos são chamados a contribuir para que a escola seja um vetor de inovação e abrigue todas as vocações, vontades e talentos. É disso que o Brasil está a necessitar e com nítida urgência.

Fonte: Diário de São Paulo | Data: 27/04/2017

JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

Anúncios
Esse post foi publicado em Expressão livre: textos dos leitores. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s