Myrthes Suplicy Vieira; lucidez

FAROESTE CABOCLO OU JAIRPEDIA

Eu desisto, não existe essa manhã que eu perseguia, só encontro gente amarga e vazia, procurando repartir seu mundo errado nessa vida sem amor…

Acabou, estou jogando a toalha, depondo voluntariamente minhas armas. Eles venceram e o sinal está fechado para nós que somos… jovens de consciência humana.

Deixem que eles ocupem as ruas, voltem ao trabalho e morram aos milhares, seja pelo vírus ou em tiroteios, como moscas abatidas em pleno voo por um inseticida potente.

Não oponham resistência ao fechamento do congresso e do STF, à prisão de governadores e prefeitos, ao avanço do desmatamento da Amazônia, nem sequer ao armamento da população civil.

Deixem que se instale o novo império do poder único, que congrega nas mãos de uma dinastia tanto o poder temporal quanto o poder discricionário divino. Permitam que suas teses prosperem para que possamos constatar na prática sua coerência e pertinência.

Na novilíngua da estação, a mais nova enciclopédia do espaço virtual, a Jairpedia, os novos conceitos de governança serão testados à exaustão:

* Democracia=direito de andar armado e revidar à bala qualquer limitação a seus direitos, seja uma ordem de isolamento ou de proibição de manifestações

*Ditadura=aquilo que seus adversários políticos fazem contra você, tentando impor suas ideologias decadentes e criminosas; conceito aplicável apenas à franja da esquerda de destruição dos valores da família, da liberdade (ver abaixo) e de Deus;

*Liberdade [inclui a liberdade de expressão]=direito constitucional de ir e vir quando lhe aprouver, mesmo que isso fira o interesse coletivo; direito de expressar seus valores pessoais da forma mais transparente e crua possível, e de impor seus pontos de vista a quem pense diferente; direito de atacar a honra, a dignidade e a integridade das intenções de pessoas e instituições; direito de denunciar crimes e fraudes sem provas; direito de se isentar de punições sempre que suas ações derivem de excusável medo, surpresa ou erro que não seja grosseiro.

É mera questão de tempo até que o grosso da população perceba que, mesmo calada a boca, resta o peito. Que não se pode viver eternamente em guerra contra tudo e contra todos. Que a última liberdade – imorrível e imatável – é a do pensamento.

E, quando esse dia chegar, não haverá comiseração alguma para com seus destinos. Os sobreviventes circulando a esmo pela terra devastada, respirando fuligem, não encontrarão refúgio em nenhum lugar na face da terra. Eles poderão correr, é verdade, mas não conseguirão se esconder.

O julgamento redivivo de Nuremberg saberá revalidar a tese da impropriedade do conceito de obediência devida.

Esse post foi publicado em Expressão livre: textos dos leitores. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s